Aparecem as provas da ligação da Globo com delator que a acusa de propina

A Globo comprava os direitos de transmissão da Libertadores da empresa Torneos Y Competencias, que era controlada pelo executivo Alejandro Burzaco, que acusou a emissora de pagar propina a cartolas sul-americanos; informação foi divulgada nesta quarta-feira, 15, pelo jornalista Rodrigo Mattos; a Torneos, empresa de Burzaco, era dona de parte da empresa T & T Sports Marketing BV, que adquiriu todos os direitos da Libertadores; documentos obtidos no caso ‘Panama Papers’ mostram que a Globo e a T & T mantinham relação contratual por 11 anos, de 2005 a 2016 quando foi rompido elo pelo escândalo na Conmebol; em média, a emissora pagou US$ 16 milhões por ano pela Libertadores, preço bem abaixo do padrão do mercado brasileiro pela competição

247 – A Globo comprava os direitos de transmissão da Libertadores da empresa Torneos Y Competencias, que era controlada pelo executivo Alejandro Burzaco, que acusou a emissora de pagar propina a cartolas sul-americanos. A informação foi divulgada nesta quarta-feira, 15, pelo jornalista Rodrigo Mattos, do UOL.

Segundo Mattos, a Torneos, empresa de Burzaco, era dona de parte da empresa T & T Sports Marketing BV, com sede na Holanda. Essa empresa adquiriu todos os direitos da Libertadores. Documentos obtidos no caso ”Panama Papers” mostram que a Globo e a T & T mantinham relação contratual por 11 anos, de 2005 a 2016 quando foi rompido elo pelo escândalo na Conmebol.

Em média, a emissora pagou US$ 16 milhões por ano pela Libertadores. Segundo o jornalista, a emissora brasileira pagava um valor abaixo do padrão do mercado brasileiro pela competição.

Ainda de acordo com o jornalista Rodrigo Mattos, o último contrato entre as partes gerou uma disputa judicial no Brasil. Pelo acordo, a emissora só pagava o valor de US$ 10,8 milhões anuais entre 2015 e 2018 por toda a Libertadores. Era metade do montante dado pela Globo pelo Campeonato Paulista neste período.

Quando estourou o escândalo na Conmebol, a Globo foi à Justiça para tentar manter seu contrato com a T & T como válido, apesar de a empresa já figurar como envolvida em corrupção. Ao final, a Conmebol reformou os contratos da Libertadores e a Globo fechou novo acordo diretamente com a Fox. A disputa judicial foi extinta. Não se sabe o valor atual pago pela emissora pela competição sul-americana.

Veja cópia do contrato entre a Globo e a T & T:

Anúncios

As propostas HORRENDAS de Jair Bolsonaro

Em vídeo publicado no facebook no último sábado (4), o deputado Jair Bolsonaro (PSC) criticou a forma como vem sendo tratado pela grande mídia, com desproporção de espaço e conotação pejorativa em relação a outros pretensos candidatos à presidência da república.

Disse que é mostrado “piquinim”, o que leva a entender que aqueles que o apoiam “cabem dentro de uma Van ou de uma Kombi”.

Quem suporta a lamentação com a imprensa, tem que assistir o vídeo até o fim.

Bolsonaro reconhece que muitos o detestam e cita as propostas que podem fazê-lo ‘perder gordura’ na corrida eleitoral.

Confira algumas para usar um ‘tô avisando’ ao invés de um ‘te avisei’ com os insanos eleitores de Bolsonaro:

1 – Será porque eu defendo que a nossa REGIÃO AMAZÔNICA, a sua biodiversidade VENHA A SER EXPLORADA para o bem do seu povo, nativo, local?
2 – Será porque eu sou CONTRA A LEI ROUANET?
3 – Porque eu defendo a FAMÍLIA BRASILEIRA e a liberdade de religião?
4 – Porque eu sou CONTRA A IDEOLOGIA DE GÊNERO, afinal, qual pai quer chegar em casa e encontrar seu filho Joãozinho brincando de boneca?
5 – Será porque eu defendo realmente a mulher com vários projetos de lei, entre eles, a CASTRAÇÃO QUÍMICA de estupradores?
6 – Será porque eu defendo a REDUÇÃO DA MAIORIDADE?
7 – Porque eu quero a criminalização do MST e MTST?
8 – Porque eu defendo que o PRODUTOR RURAL TENHA ARMAS para se defender de invasores?
9 – Porque eu DEFENDO OS GARIMPEIROS para que esses nãos sejam tratados como bandidos, especialmente na região amazônica?
10 – Porque eu não quero o IBAMA, ICMBIO multando o nosso produtor rural pelo viés ideológico?
11 – Porque eu quero que os QUILOMBOLAS explorem sua terra e DA MESMA FORMA que seu vizinho fazendeiro faz e, se quiser vendê-la em todo ou em parte, que o façam?
12 – Porque eu quero a verdade sobre o PERÍODO 64/85?
13 – Porque eu quero a EXCLUDENTE DE ILICITUDE PARA O POLICIAL e para o cidadão em legítima defesa da sua vida?
14 – Porque eu quero o DIREITO DE POSSE DE ARMA DE FOGO para o cidadão de bem, afinal os bandidos continuam mais e melhores armados?
15 – Será porque eu sou contra a indústria da demarcação de terras indígenas e CONTRA A INVASÃO DE ÍNDIOS em propriedades privadas?
16 – Porque quero um pente de fino em ONGs?

Bom, não é preciso muito esforço para constatar que Bolsonaro não é só burro, mas ignorante.

O traçado histórico prova quem originalmente invadiu a terra de quem, quem luta para preservar e quem luta para destruir o meio ambiente.

Os conflitos no campo cresceram 26% entre 2015 e 2016 e os assassinatos 22%. Segundo o relatório da Comissão Pastoral da Terra, a impunidade favorece o aumento de casos de assassinatos. “Ao longo dos 32 anos de catalogação, apenas 112 foram julgados, com 31 mandantes condenados e 14 absolvidos. No caso dos executores, 92 obtiveram condenação e 204 foram absolvidos pela Justiça.”

Criminalizar o MST e MTST é autorizar a matança em ascensão.

O direito à posse de arma e à legítima defesa vigoram no país. O que Bolsonaro quer é liberar geral o porte e aumentar as mortes por causas banais.

Castração química de estuprador por que? O deputado não foi condenado por apologia ao estupro?

Mais que contradições e mentiras, as propostas de Bolsonaro contêm barbaridades como mandar menores que cometem crimes para presídios, liberar a Amazônia para exploração, acabar com as demarcações de terras indígenas e autorizar a exploração predatória de minérios.

Diz combater o viés ideológico, mas todas as suas propostas são dissociadas da realidade brasileira e de constatações científicas.

Bolsonaro não esconde sua burrice e ignorância e ainda assim atrai seguidores. Resta atribuir o sucesso à máxima de que juntando um monte burros, qualquer um se torna um líder.

E ele juntou e segue juntando burros e ignorantes ao que chama de “missão de Deus”.

Que Deus? Um bem burro, ignorante e mau.

E em resposta às perguntas que Bolsonaro fez no vídeo dirigido a todos os eleitores, respondo: sim!É por todas essas propostas insanas que a maioria detesta imaginá-lo eleito presidente.

Porque felizmente, nem todo mundo é burro.

Via: Plantão Brasil

Atirador do Texas foi dispensado das Forças Aéreas por agressão à esposa e aos filhos

Do UOL:

O atirador que matou 26 pessoas neste domingo (5) em uma igreja da pequena cidade de Sutherland Springs, no sudeste do Texas, nos Estados Unidos, foi identificado como Devin Patrick Kelley, e tem 26 anos, de acordo com a polícia local. Ele foi morto em circunstâncias ainda não esclarecidas e, aparentemente, não tem ligação com nenhuma organização terrorista.

Kelley vivia em New Braunfels, um subúrbio em San Antonio, a 56 km da cidade onde ocorreu o ataque. Uma das perguntas ainda sem resposta é por que ele escolheu atacar uma igreja tão distante.

Ele serviu nas Forças Aéreas dos EUA na base Holloman, no Novo México, de 2010 a 2014, quando foi dispensado. O motivo foi uma denúncia de agressão contra sua esposa, Danielle Lee Shields, e seus filhos. Por isso, foi julgado em um tribunal militar em 2012, afirmou Ann Stefanek, chefe de comunicação da Força Aérea em um comunicado, citado pelo Los Angeles Times.

Segundo a mesma fonte, ele foi condenado a ficar 12 meses sob custódia e, por conta de seu mau comportamento, foi dispensado da instituição há três anos.

No ataque deste domingo, Kelley usou uma AR-15, Pelo menos 20 ficaram feridas durante o ataque, afirmou o governador do Texas, Gregg Abbott, em entrevista coletiva.

 

PMDB, PSDB, DEM, PPS, PSB e mais quatro partidos podem se unir em disputa presidencial

A aparente ameaça de um cenário que aponta para um segundo turno entre Lula (PT) e Bolsonaro (PSC) nas eleições de 2018 acendeu o sinal de alerta nos partidos que convergem para o centro – esquerda ou direita. Por isso, nos últimos dias, foi deflagrada nos bastidores uma articulação destinada a encontrar um nome de consenso capaz de unir PMDB, PSDB, DEM, PPS, PSB, PP, PR, PRB, PV.

Dirigentes destas legendas concordam que a pulverização de candidaturas, hoje situadas na órbita do governo, aplaina o caminho para uma polarização entre Lula e Bolsonaro, ambos na dianteira das intenções de voto com 35% e 16% respectivamente. A estratégia, até então restrita às reuniões intramuros entre as cúpulas partidárias, foi verbalizada na terça-feira 31.

Em clima de campanha, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), desembarcou no Rio de Janeiro e aproveitou a agenda para dar seu aval ao projeto político, ao qual classificou de “frente ampla de partidos de centro”. “Se nós, que temos uma posição central para salvar o Brasil, não estivermos unidos, quem ganhará a eleição será um extremista, de esquerda ou de direita”, alertou.

Ideia gestada no planalto

A ideia original dessa espécie de terceira via partiu inicialmente do presidente da República, Michel Temer, preocupado em buscar um nome que dê continuidade aos projetos iniciados em seu governo. Temer acredita que o candidato da base aliada terá a campanha facilitada pelos indicadores que apontam a recuperação da economia e a garantia de geração de empregos em 2018. Aposta na resposta dos eleitores ao êxito de seus programas de modernização.

Doria, pelo visto, também joga suas fichas na mesma perspectiva. Ao defender o candidato único de partidos de centro, deixou claro que leva como certa a participação do PSDB nesta frente. Fontes ligadas ao governo concordam com o prefeito e vão ainda mais longe: afirmam que, sem o apoio dos tucanos, a união dos partidos da base será inviável.

“Se nós, que temos uma posição central para salvar o Brasil,

não nos unirmos, quem ganhará a eleição será um extremista”

João Doria, prefeito de São Paulo

O projeto alimentado por Temer não terá necessariamente o prefeito de São Paulo na cabeça da chapa, já que Doria precisa primeiro resolver sua disputa interna com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Só depois de resolvido o atual impasse, se saberá quem será escolhido como o candidato do PSDB à Presidência em 2018. Uma alternativa de Doria poderia ser a troca de legenda.

Em vez de disputar desgastantes e incertas prévias com Alckmin, haveria a opção de se filiar ao DEM ou ao próprio PMDB de Temer. No campo governista, Doria ou qualquer outro candidato do PSDB ou mesmo do PMDB, na verdade, enfrentaria um adversário poderoso no interior da base aliada.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, hoje filiado ao PSD, tem manifestado a vontade de se lançar candidato à sucessão de seu chefe no ano que vem. Como os dois estão de olho na mesma chapa, o PMDB teria de escolher um nome para compor com o PSDB. Portanto, a novela só trocaria de personagens, mas continuaria com final indefinido.

Sem entrar na discussão sobre quem seria o cabeça de chapa da coligação aliada, Doria defende a ideia da frente única como única arma capaz de evitar a polarização Lula e Bolsonaro. Assim, deixa claro que quer compor, não dividir. O candidato se resolve mais adiante. Que pode até ser ele, inclusive.

A preocupação do tucano toma por base as recentes pesquisas sobre intenções de voto para a Presidência. Tanto o instituto Datafolha quanto o Ibope indicam um segundo turno entre o ex-presidente Lula e o deputado Jair Bolsonaro. Se tudo permanecer como está, ou seja, com os partidos do espectro governista divididos, o quadro tende a se consolidar. Daí a forte preocupação dos caciques de PMDB, PSDB, DEM, PPS, PSB e de mais quatro partidos da base governista – temor este que, nos últimos dias, também passou a reinar no mercado e no meio empresarial.

Nos cenários estimulados pelas pesquisas, nos quais os entrevistadores apresentam uma lista de possíveis candidatos ao Planalto, Lula aparece à frente, e sempre seguido por Bolsonaro. No Datafolha, Lula soma 36%, contra 16% de Bolsonaro. Já no Ibope, o resultado é 35% para Lula e 13% para Bolsonaro. Os demais, Marina, Alckmin, Doria, Ciro e Luciano Huck, aparecem distantes.

A frente única defendida por Temer e Doria, portanto, poder ser uma solução, mais ainda se as posições de Lula e Bolsonaro se cristalizarem nas próximas pesquisas. Resta saber se os interesses dos partidos, de fato, vão convergir. É o que questiona David Fleischer, cientista político da UnB.

Para ele, uma composição entre PMDB e PSDB para a disputa sucessória poderia não interessar a Alckmin. “Dificilmente o Alckmin seria escolhido pela articulação de centro. Ele é frio, não sorri. Não possui um discurso amigável. Já a grande vantagem do Doria é ser classificado como um outsider”, analisa Fleischer.

Outra desvantagem de Alckmin é que as recentes pesquisas apontam um forte desgaste do chamado PSDB tradicional. Por isso, há que se aguardar a frente única tornar-se real. Seria, de fato, uma saída alternativa aos extremos, hoje personificados por Lula e Bolsonaro, e um caminho para o salutar debate democrático.

Tucanos não se bicam

O PSDB volta a viver uma rotina de brigas internas que só compromete sua já desgastada imagem. A última confusão envolveu deputados mineiros, ligados ao senador Aécio Neves, e o presidente da sigla, Tasso Jereissati.

O motivo da crise foi a contratação da empresa Ideia Big Data para criar um plano de ação nas redes sociais. A escolha irritou a ala mineira do PSDB, porque o dono da empresa foi responsável pela campanha do petista Fernando Pimentel.

Além disso,a ideia do PSDB de repetir velhas fórmulas, colocando como candidato Geraldo Alckmin, que não empolga e já foi derrotado para presidente, incomoda as alas do partido que anseiam por renovação e sabem que, nas próximas eleições, aquela agremiação que representar o novo deve levar a disputa.

Istoé

Temer vai cortar benefício de até 4,7 milhões de idosos, o chamado BPC

Divulgação Deputados e Senadores que apoiam e votarão Reforma da Previdencia para o trabalhador não parar de trabalhar,proposta articulada pelo PMDB de Temer, Renan e Jucá e PSDB de Aecio Neves
BPC ou Beneficio de Prestação Continuado é aquele benefício instituído pela LOAS que garante um salário mínimo pra idosos que não tem direito a aposentadoria por falta de contribuição, como por exemplo o trabalhador rural que nunca contribuiu e tem mais de 65 anos e pessoas com deficiência incapacitante moderada ou grave e cuja renda per capita familiar seja de até 1/4 do salario mínimo.

É a população vulnerável e o Governo Temer do PMDB decretou em julho de 2016 que todos os beneficiários estão obrigados a se cadastrar no CADÚNICO até 31/12/2017 caso contrário terão benefício cortado. Até aí tudo bem. Porém propositalmente não fizeram uma campanha pra alertar a população para o cadastro, com isso a maioria não ficou sabendo. Como exemplo, em BH 14.500 pessoas idosas são beneficiárias e até agora só 1.400 cadastraram e a proporção é a mesma em todo o país.
Mais de 4,7 milhões de pessoas recebem o benefício e quase todas elas vão perdê-lo. É um absurdo, uma maldade. Ajude a divulgar.
Do Plantão Brasil

TSE vai julgar Bolsonaro e Lula por antecipação de campanha

VIA: ESTADÃO

Ministério Público Eleitoral acusa deputado e ex-presidente de adiantar início da campanha eleitoral; eles afirmam que não podem ser responsabilizados por apoio

BRASÍLIA – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) entraram na mira do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por propaganda eleitoral antecipada. A Corte Eleitoral deve julgar ainda neste ano dois processos que envolvem a divulgação na internet de vídeos que fazem referência às candidaturas de Lula e Bolsonaro ao Planalto. Os dois, que lideram as pesquisas, já anunciaram publicamente a intenção de concorrer em 2018.

Na Corte Eleitoral, a avaliação é a de que esses julgamentos devem estabelecer as balizas que nortearão o entendimento do tribunal sobre o tema nas eleições de 2018. A legislação permite a propaganda eleitoral somente a partir de 15 de agosto do ano da eleição e prevê multa de R$ 5 mil a R$ 25 mil para quem violar a restrição.

Lula e Bolsonaro
Presidenciáveis são recebidos por multidões: Lula, em Minas Gerais, e Bolsonaro, em Pernambuco. Foto: Ricardo Stuckert (em cima) e Leo Mota/Folha de Pernambuco (em baixo)

O primeiro caso que está na pauta é o de Bolsonaro. Em 21 de setembro, o TSE iniciou o julgamento sobre a retirada da internet de vídeos de apoio ao deputado fluminense. O ministro Admar Gonzaga, que havia solicitado mais tempo para analisar o caso, deve devolver o pedido de vista nos próximos dias.

O Ministério Público Eleitoral (MPE) questiona a publicação no YouTube de vídeos que mostram o parlamentar sendo recepcionado em aeroportos por simpatizantes. Para o MPE, as gravações fazem “clara menção à pretensa candidatura” do deputado. Além de acusar Bolsonaro de ter conhecimento prévio das gravações e pedir a retirada do material, o MPE quer que o deputado se abstenha de veicular peças de conteúdo similar até o início do período eleitoral do ano que vêm.

Em um dos vídeos, intitulado “Bolsonaro 2018 Vamos juntos”, o narrador fala em “apoiar o futuro presidente”. O deputado então diz que “2018 está muito longe, vamos para a rua a partir de agora. A presença de todos ajudará para mostrar que nós não estamos a favor dessa ‘canalhada’ que está no poder”. Único a votar até aqui, o relator do caso, ministro Napoleão Nunes, não viu propaganda eleitoral antecipada nos vídeos.

Academia. O ex-presidente Lula também é alvo de processo no TSE por causa da veiculação de vídeos na internet. Em um deles, intitulado “Ele está voltando”, o petista aparece numa academia de ginástica ao som da trilha sonora do filme Rocky – Um Lutador, o que revela a pretensão do ex-presidente em se candidatar, de acordo com o MPE. “A sociedade muitas vezes aceita de um e reprova o de outro. Mas o juiz não pode julgar assim. Temos de ver a questão do ponto de vista técnico, da afronta ou não à norma legal. O que interessa para a Justiça Eleitoral é a informação sobre o que é permitido ou não porque temos aí um princípio de estatura constitucional, que é a liberdade de manifestação política”, afirmou ao Estado 0 ministro Admar Gonzaga, relator do caso no TSE.

O Ministério Público questionou também ao TSE a participação de Lula na “inauguração popular da Transposição de Águas do São Francisco”, em evento ocorrido na cidade de Monteiro, na Paraíba, em março deste ano. “É evidente que tais declarações revelam a inequívoca intenção do ex-presidente em anunciar e promover a sua futura candidatura.”

Para o ex-ministro do TSE Henrique Neves, com a redução no prazo de propaganda eleitoral e todas as restrições, não se deve proibir a divulgação de atos políticos na internet. “O que deve ser fiscalizado não é a divulgação, mas se o ato caracterizar abuso.”

De acordo com o TSE, não há questionamentos sobre os presidenciáveis Geraldo Alckmin (PSDB), João Doria (PSDB) e Ciro Gomes (PDT).

Defesas. O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) disse ao Estado ter confiança no julgamento que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) fará dos vídeos veiculados na internet que o mostram sendo recepcionado por simpatizantes em aeroportos.

“Não estimulo ninguém a fazer vídeos que contrariem a lei eleitoral, nem nada, os vídeos que eu faço eu me responsabilizo por eles. É um direito deles (simpatizantes) fazerem (os vídeos), assim como fazem vídeos contra mim”, afirmou o parlamentar. “Pela lei eleitoral, a campanha antecipada tem de ser feita de forma explícita. Isso não existe em nenhum vídeo.”

Bolsonaro disse ainda que o relator do processo no TSE, ministro Napoleão Nunes, não viu propaganda eleitoral no material publicado no YouTube – o julgamento foi iniciado em 21 de setembro, mas interrompido após pedido de vista do ministro Admar Gonzaga.

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva informou que os vídeos questionados pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) não foram elaborados pelo petista nem por sua equipe.

“Imagens veiculadas no site de Lula no contexto de sua recuperação de um câncer foram usadas por terceiros, não cabendo ao ex-presidente qualquer responsabilidade pelo ato”, afirmou o advogado Cristiano Zanin Martins, em nota.

Em nota, ministra de Temer que reclamou de “trabalho escravo” desiste de salário de R$ 60 mil

Nessa quinta-feira, 2, teve imensa repercussão o pedido feito por Luislinda Valois(PSDB) ao governo para que seus vencimentos pudessem extrapolar o teto constitucional de R$ 33,7 mil, acumulando a aposentadoria de desembargadora ao salário de ministra. O mais absurdo do pedido foi a comparação feita por Valois de sua condição pessoal com a escravidão.

A ministra ainda deu uma entrevista em que reafirmou a comparação, dizendo que precisava se “vestir com dignidade”, entre outros absurdos para justificar seu pedido por uma remuneração de R$ 61 mil, enquanto o governo se esforça por liberar o trabalho escravo no país ao lado da bancada ruralista.

Após a imensa repercussão negativa, o Ministério de Direitos Humanos emitiu uma nota em que afirma que Valois desistiu de seu pedido. “Considerando o documento sobre a situação remuneratória da ministra Luislinda Valois, o Ministério informa que já foi formulado um requerimento de desistência e arquivamento da solicitação”, afirma a nota.

Aparentemente, a ministra decidiu que irá se submeter ao que considera o “trabalho escravo” de supervisionar os ataques de Temer aos direitos humanos pela bagatela de R$ 33,7 mil, mais os privilégios todos de ministra.

NAMORADO DE FÁTIMA BERNADES É DEFENSOR DAS DIRETAS JÁ E FORA TEMER!!!

QUEM É TÚLIO GADÊLHA, NAMORADO DE FÁTIMA BERNARDES

POLÍTICO RECIFENSE FILIADO AO PDT PERDEU ELEIÇÃO PARA DEPUTADO, MAS SEGUE FIRME EM SUA OPOSIÇÃO AO GOVERNO TEMER NAS REDES SOCIAIS

Via: VEJA

Tem sotaque pernambucano o novo namorado de Fátima Bernardes. E pretensão política. E gosto pelo surf. Natural do Recife, de onde escapa para pegar onda no idílico litoral de Pernambuco, Túlio Gadêlha — de 29 anos, 26 a menos que a jornalista e apresentadora mais bem paga da Rede Globo — é formado em direito pela Universidade Católica de Pernambuco (UniCAP) e atualmente filiado ao PDT, partido em que acumula as funções de presidente da JSPDT (Juventude Socialista do PDT) estadual e secretário geral da sigla em Pernambuco.

Candidato a deputado federal em 2014, Gadêlha obteve apenas 3.495 votos e não se elegeu. Mas já tem um cargo público à vista: ele é cotado para assumir o Instituto de Terras e Reforma Agrária de Pernambuco (Iterpe) na gestão Paulo Câmara (PSB), atual governador do Estado.

Fora do Congresso Nacional, Gadêlha faz oposição ao governo Temer nas redes sociais. O advogado faz uso da hashtag “ForaTemer” e já foi fotografado em Brasília com uma placa que pedia “Eleições Diretas Já”. O slogan traz implícita uma crítica à forma como Michel Temer (PMDB) chegou ao poder, por meio do impeachment de sua outrora titular, Dilma Roussef (PT), ex-PDT.

Ele também já tomou posição contra a privatização da Petrobras, que considera determinante para a “soberania nacional” e “o futuro das próximas gerações”.

Gadêlha, que completa 30 anos no próximo dia 12, também abraça causas minoritárias e nobres como o “Outubro Rosa”, campanha global promovida para conscientizar as mulheres sobre a prevenção do câncer de mama e de colo do útero.

Com o flagra nesta quinta, os fãs perceberam que o rapaz já havia aparecido em público com a jornalista antes. Em uma foto publicada por Fátima em seu perfil no Instagram em 24 de setembro, ela aparece ao lado de Gadêlha enquanto parabeniza o elenco do musical Cantando na Chuva.

Gadelha é o primeiro namorado que Fátima Bernardes assumiu desde o anúncio da separação de William Bonner, em setembro do ano passado. Os jornalistas foram casados por 26 anos e são pais dos trigêmeos Laura, Beatriz e Vinícius. Bonner também já seguiu em frente: namora a fisioterapeuta Natasha Dantas.

Huck representa Globo no poder e a farsa do “novo” em forma de atraso e retrocesso

“Vou de táxi…”

Luciano Huck, o self-made man às avessas, porque o dono da “Lata Velha” é filho de família rica e sempre teve as portas escancaradas para fazer o que faz, apesar de se dedicar ao trabalho e ter à sua disposição uma enorme equipe, sabe muito bem que não passa de um engodo político e de uma aventura política, que poderia custar muito ao Brasil e seu povo, porque Huck seria pior ainda do que Fernando Collor, o candidato que a Globo influenciou, e muito, para empossá-lo como presidente, para logo depois defenestrá-lo, como se o fosse pessoa jogada da janela do alto de um prédio.

Aliás, Fernando Collor, a despeito do fracasso e da ilusão como o “Caçador de Marajás”, que, na verdade, nunca o foi, pelo menos o senador de Alagoas e alguns membros de sua família e muitos de seus antepassados foram e são políticos, o que, indubitavelmente, não é o caso do fake Luciano Huck, que tem tudo para ser derrotado e desconstruído tijolo a tijolo como o candidato da direita mais atrasada e reacionária deste País, que são os magnatas bilionários de todas as mídias cruzadas e organizadas em oligopólios, que representam a alta burguesia, ou seja, a plutocracia diversificada em seus inúmeros setores e segmentos.

Quero dizer que o Huck é pior do que o Collor, e seria tão nefasto aos interesses do País e aos segmentos mais desprotegidos da sociedade brasileira do que o prefeito João Dória (PSDB), que tem demonstrado, sem sombra de dúvida, que serve apenas aos interesses empresariais dos ricos, das classes abastadas, a dar, recorrentemente, declarações e a realizar ações contra a dignidade humana, que envergonhariam até os fascistas italianos das décadas de 1930 e 1940.

Huck representa o ultraneoliberalismo que fracassou de forma retumbante e criminosa na Europa e nos Estados Unidos, a levar suas economias e empregos para o fundo do poço, mas que tem ainda a utilidade de usurpar e explorar as economias emergentes como a do Brasil, a ter o Pré-Sal como o principal alvo de governos estrangeiros e dos trustes internacionais de petróleo, a comprarem ainda e a preço de banana o que resta do patrimônio público nacional.

A entrega por parte de um desgoverno golpista, irresponsável e patético, que está a vender a toque de caixa o que não pôde ser vendido por falta de tempo pelo governo entreguista e traidor de FHC — o Neoliberal Golpista I —, aquele presidente tucano, colonizado e subalterno que foi ao FMI três vezes, humilhado e com o pires nas mãos, porque quebrou o Brasil três vezes, em oito anos de seus mandatos subservientes e que não construíram uma única escola técnica quanto mais melhorarem a vida do povo brasileiro, realidades que aconteceram, sobretudo, nos governos de Lula e Dilma Rousseff.

Luciano Huck é a representação do fracasso brasileiro e de seu anacrônico atraso e retrocesso, que é promovido propositalmente pelas classes privilegiadas e riquíssimas as quais o apresentador do Caldeirão do Huck é integrante como “celebridade”, porém vazio de propostas, programas e projetos que de fato transformem e mexam nas estruturas arcaicas de um País cujos inúmeros segmentos ainda se encontram nos idos do século XIX e nas primeiras três décadas do século XX dominadas pelos coronéis da República Velha.

Esta draconiana realidade foi comprovada para a infelicidade e decepção geral dos que ainda pensavam que o Brasil poderia ser civilizado e se tornar uma potência econômica, política, social e com diplomacia soberana e independente. Ledo engano. O País sucumbiu a um golpe de estado tão violento, antinacional, antidemocrático e antipopular, que chegou ao ponto de o desgoverno do usurpador e traidor *mi-shell temer assinar portaria que praticamente revoga a Lei Áurea.

Trata-se de uma ação tão perversa e desumana, que se tornou simbólica do quão *mi-shell temer e sua escória podem romper com os limites civilizatórios, porque a partir da assinatura de tal portaria por parte do “cristão” e ministro do Trabalho Ronaldo Nogueira, que é pastor da Assembleia de Deus, percebe-se com mais profundidade e nitidez o porquê de os golpistas terem vencido e conquistado o poder por um dos golpes mais engendrados e esquematizados da história da civilização ocidental.

O motivo disso tudo foi para retirar direitos e garantias, proteger da cadeia vagabundos engravatados, vender o patrimônio público com atenção maior ao Pré-Sal e, obviamente, subordinar o poder central aos interesses e à agenda do empresariado e da direita política e partidária brasileira, notadamente o golpista PSDB, que está a ferrar com a Petrobras e as Organizações(?) Globo, que foram derrotados em quatro eleições consecutivas pelo PT.

Daqui a 40 anos, talvez a golpista Globo, grande sonegadora de impostos, sócia da CBF de Ricardo Teixeira e do empresário J. Hawilla e outros que tais, peça desculpas novamente à Nação, como o fez há alguns anos no que concerne ao golpe de 1964, que a família Marinho apoiou e o defendeu em seus órgãos hegemônicos de imprensa, nos 21 anos de governos dos generais.

Além disso, os Estados Unidos jamais concordaram que o Brasil se tornasse influente e importante, como estava a ser, principalmente no papel de um dos fundadores e principais atores dos Brics, da Unasul, do Mercosul, do G-20 e das relações Sul-Sul com a África, assim como favorecer o fortalecimento com os países do Oriente Médio, notadamente o Irã.

O Brasil como ator muito forte dos Brics, a estar na época prestes a ser a quinta maior economia do mundo, levou os EUA se sentirem muito incomodados e, no ano de 2016, finalmente conseguiram colocar no poder um governante fantoche, um patife sem respeito e um pária internacional odiado no Brasil por 97% da população, que está a ver quem é quem, tanto na imprensa golpista e meramente de mercado, no STF, no Congresso, na Presidência da República e na Lava Jato.

A força-tarefa irresponsável e arbitrária, que quebrou propositalmente as indústrias da construção civil e naval, além da nuclear, a fim de atender os interesses de países estrangeiros, notadamente os EUA. A Lava Jato é a responsável direta por um milhão de postos de trabalho fechados. Seus operadores de almas coxinhas e o desgoverno dos canalhas, presidiários e futuros encarcerados têm apenas como principal objetivo interditar a candidatura de Lula e, com efeito, gerar mais crises e divisões na sociedade brasileira, que levará décadas para se reabilitar e se recuperar de um golpe de estado, que levou à deposição a legítima e constitucional presidente Dilma Rousseff.

E o que esses assuntos tem a ver com o Luciano Huck, empresário riquíssimo e ligado às principais empresas brasileiras que também apoiaram o golpe de terceiro mundo praticado pela casa grande escravocrata deste País azarado, por ter em suas terras as “elites” econômicas mais atrasadas do mundo ocidental.

O Huck dos banqueiros e da famiglia Marinho, que o apoia em suas sandices de ser candidato midiático e desprovido de quaisquer conhecimentos sobre as questões brasileiras, porque a verdade é que o apresentador e empresário não tem o mínimo conhecimento sobre a sociedade brasileira, o Brasil profundo, o Brasil que não cabe em seu estúdio e em suas visitas para “presentear” pessoas simples e que desconhecem realmente quem o Huck verdadeiramente representa e o que desejam dele.

Para quem não sabe, o mascote do capital, o seu garoto propaganda deseja ser presidente para o desespero de quem pensa e compreende os (maus) valores e princípios do status quo. Huck está, conforme as notícias da imprensa de negócios privados, a participar, juntamente com outros megaempresários, de um grupo que tem por propósito financiar candidaturas para deputado federal, como ocorreu nos idos da década de 1960.

A intenção é fazer maioria parlamentar com políticos de direita e de extrema direita, de forma que qualquer presidente eleito, principalmente se for de esquerda e que tente realizar avanços estruturais neste País não consiga aprovar quaisquer projetos, que não sejam os de interesse do grande capital nacional e internacional.

Huck e seus asseclas do empresariado querem, mesmo sem ter muita noção da história do Brasil, recriar entidades de almas golpistas nos moldes dos famigerados Ipes e Ibad, bem como talvez contar com o apoio do Instituto Millenium, que é um antro de golpistas e usurpadores, que se reúnem em tal covil para conspirar e concretizar golpes de estado, como ocorreu com a presidente legítima Dilma Rousseff, no fatídico e sombrio ano de 2016.

Huck, se for candidato, será desmoralizado e atacado politicamente até ele se mancar e perceber que nem tudo é para seu bico de agente da Globo. Seria o fim da picada o apresentador de televisão ser eleito pelo povo brasileiro depois da tragédia *mi-shell temer/PSDB.

Huck tem de ser esperto, porque pedir para ele ser sábio seria exigir demais. Porém, seu destino a ele pertence ou a seus patrões Marinho, mas é evidente que sua vida será abertamente mostrada por seus opositores, como também seus negócios, os processos pelos quais responde na Justiça e suas alianças políticas e empresariais no decorrer de sua vida.

Se o empresário e apresentador da Globo não acredita, vide Sílvio Santos, que tentou entrar na corrida presidencial, em 1989, depois de o certame eleitoral ter iniciado. Para quem não se lembra, Leonel Brizola, Lula e outros candidatos questionaram duramente a leviandade do dono do Baú da Felicidade, do SBT e do falido Banco PAN, o que fez o Senor Abravanel desistir das eleições, até porque ele percebeu que seria alvo de ataques políticos que, indelevelmente, prejudicariam seus negócios milionários, além de o empresário de comunicação ter também apoiado a ditadura militar.

Lo que se pasa(?), perguntariam os eleitores assoberbados e a não acreditar que o Brasil e seu povo estarão impedidos de votar no líder das pesquisas em todas as projeções eleitorais, de acordo com o Globo, que publicou o resultado num cantinho de página, e seu sócio, o Ibope. Pesquisa de agora indica que o líder trabalhista e de esquerda, Luiz Inácio da Lula, aumentou ainda mais a diferença em relação aos seus adversários, tanto do campo da esquerda quanto da direita.

Luciano Huck, se tiver um mínimo de discernimento e não for negligente perceberá que ele entrará em um campo minado, porque não será fácil debater com o Lula ou com qualquer político que disputará as eleições, mesmo se não for o petista, porque o indicado será também um osso duro de roer, além de a população já ter percebido, e já há algum tempo, que o Lula está a ser perseguido, além de a Lava Jato ser considerada um instrumento político, que tem a finalidade de impedir a candidatura popular do maior e mais importante político do País.

Lula é o maior presidente do Brasil em todos os tempos, na companhia do trabalhista e patriota Getúlio Vargas, que também foi chamado pela direita injustamente de ladrão e atacado violentamente pela imprensa comercial e privada dos verdadeiros ladrões das riquezas brasileiras e da paz social no Brasil.

É duro e inaceitável ver ladrão chamar de ladrão aquele que não é ladrão. Causa indignação, revolta e recrudesce a luta política e partidária, porque quem é justo e compreende as realidades que se apresentam não aceita e não se conforma com mentiras e injustiças, ainda mais quando elas partem de juízes, procuradores e delegados. Sem justiça não há paz! Ponto.

Talvez Luciano Huck e seus pares não saibam disso, por ignorância e desconhecimento, já que vivem em um mundo destinado a 1% da população brasileira, que vive em um dos países de maior desigualdade social do mundo. Uma verdadeira tragédia, que não importa a uma casa grande branca, riquíssima, racista, plena de preconceitos de classe e completamente alienada, a odiar o Brasil e a desprezar profundamente seu povo, que serve apenas como bucha de canhão para combater a criminalidade e como mão de obra barata para enriquecer as classes consideradas de “elites”.

Lula lidera todas as pesquisas mesmo a ser linchado publicamente e moralmente há mais de três anos, mesmo a não ter culpa no cartório, pois está mais do que comprovado que os operadores da força-tarefa não apresentaram quaisquer provas de que o Lula tenha incorrido em crimes ou ações ilegais quando governou o Brasil. A única coisa que esses meganhas e togados comprovaram é que eles realmente têm lado, partido, cor ideológica e paixões humanas. A Lava Jato é uma aberração a violar o Estado Democrático de Direito, o Código Penal e a democracia, com a aquiescência e a cumplicidade do STF — o pior tribunal de sua história.

O País dos ricos cucarachas e provincianos, que passa a então, com o golpe liderado pelo trio Eduardo Cunha, Aécio Neves e *mi-shell temer, com o apoio irrestrito da Lava Jato, do Congresso, da Fiesp, da CNI e, evidentemente, dos coronéis midiáticos da Globo e suas congêneres, a ter como guardião do golpe de terceiro-mundo, mas violento, a maioria dos juízes do Supremo Tribunal Federal (STF), o tribunal burguês e de punhos de renda —  o vexame e a vergonha do Brasil e ocupado por juízes dos naipes de Gilmar Mendes, Alexandre de Moraes et caterva.

Como o Brasil é um País de ignorantes, e falo das classe média coxinha, média alta e rica, que demonstraram e provaram em suas micaretas carnavalescas travestidas de protestos serem analfabetas políticas, totalmente colonizadas e com complexos de vira-latas tatuados em suas almas e corações, não seria de se estranhar que por puro reacionarismo, além do ódio e do desprezo pelo Brasil, que essa gente votasse em peso em Luciano Huck, pois a considerar que ele seria um ótimo genro para suas filhas.

Os coxinhas são assim: só pensam em ascensão social e se livrar da presença da massa trabalhadora. Conheço a psicologia e os devaneios dessa gente. Por isso que agora se calam e se retiram das ruas, a guardarem seus kits babacas e reaças formados por conjuntos de panelas, camisetas amarelas da CBF e bandeiras do Brasil, o País que eles mais detestam, pois amam de paixão os Estados Unidos, especificamente Miami e Orlando, as cidades da vida dos coxinhas golpistas e desprovidos de quaisquer conhecimento sobre as realidades brasileiras e a história do Brasil.

Luciano Huck é representação literal dessas pessoas e da realidade golpista e conservadora que o Brasil enfrenta desde que o Lula conquistou o poder democraticamente e legalmente em 2003. Lula perdeu três eleições e foi para casa e, por sua vez, recomeçou novamente até chegar ao poder e implementar o governo popular e democrático mais reconhecido internacionalmente da história deste País. O Governo trabalhista que incluiu o pobre pela primeira vez no Orçamento da União.

A direita de índole ditatorial e sectária de Luciano Huck não aguentou ficar 13 anos fora do poder e, quando o golpista que está a escapar da prisão, que atende pela alcunha de Aécio Neves saiu às ruas para questionar a legítima vitória de Dilma, que obteve 54,5 milhões de votos, e, consequentemente, fomentar o golpismo de setores reacionários e de direita deste País, evidentemente que o Governo Dilma passou a ser sabotado e boicotado diuturnamente.

Por seu turno, a presidente trabalhista e com passado de lutas contra a ditadura militar passou também a ser insultada perversamente em um desrespeito à sua moral e à dignidade humana inesquecível e que chamou a atenção da imprensa internacional do mundo civilizado. Nunca vi nada igual. Nada tão violento, sórdido e infame.

A vileza dos insultos contra a mandatária pelas redes sociais e nas ruas foi de uma covardia completa e inenarrável, bem como o que a presidente teve de enfrentar e suportar em estádio, em São Paulo, quando os coxinhas ricos do camarote do banco Itaú a ofenderam gravemente, bem como essa gente preconceituosa e ignóbil se considera de “família”, “culta” e “civilizada”. Durma-se com um barulho desse.

A verdade nua e crua é que o Brasil possui a direita, a burguesia e a classe média coxinha mais bárbara e selvagem do planeta. Não se engane quem pensa o contrário. Esse bando do ogros é simplesmente fora da curva de qualquer marco civilizatório. Depois vão à Disney bancar o Pateta e lamber os pés do Mickey e admirar o troglodita Jair Bolsonaro a bater continência à bandeira dos EUA e a gritar, em uníssono coro, a palavra “USA! USA! USA!”

Quem não acredita, que vá à internet e pesquise o candidato a presidente, o capitão Bolsonaro, naquele momento subserviente em Miami, quando mostrou, literalmente, como funciona a cabeça destrambelhada de um coxinha colonizado e estúpido. Complexo de vira-lata aplicado diretamente na veia! Uh lá lá! Trata-se do cérebro desprovido ou vazio de noção…

Luciano Huck é uma farsa política e um aventureiro sem cuidado sobre o que diz e fala. Amigo de Aécio Neves e seu cabo eleitoral, afastou-se malandramente como se todas as pessoas, todos os brasileiros tivessem as cabeças de coxinhas celerados e reacionários. Seria um enorme equívoco.

Todo mundo sabe das responsabilidades de Luciano Huck nas eleições de 2014, até porque se trata de uma pessoa pública. Ninguém é trouxa e burro e, por sua vez, todo mundo compreende que o apresentador no poder é a Globo a governar sem intermediários.

Imaginemos o Brasil a ser diretamente governado pela Globo?! Deus nos acuda, porque já enfrentamos uma desgraça sem par e sem igual que se traduz no desgoverno do pária e corrupto *mi-shell temer/PSDB, que a Globo, os irmãos Marinho e o Luciano Huck, dentre muitos outros empregados da Globo, colocaram no poder, sem a autoridade e a soberania do voto popular. Huck é fraude como pensamento político e social e a farsa como político e candidato à Presidência do Brasil. É isso aí.

Via: Brasil 247

DAVIS SENA FILHO

Davis Sena Filho é editor do blog Palavra Livre