Empresa do ‘granulado nutricional’ anunciado por Doria não tem fábrica

VIA: CBN

O produto chamado pelo prefeito de SP de ‘abençoado’ e que seria capaz de suprir necessidade de pessoas desnutridas não tem capacidade de ser produzido em escala. A plataforma Sinergia, empresa criadora da ‘farinata’, opera hoje com a ajuda de indústrias licenciadas. Eles apenas fabricaram amostras do produto que foram distribuídas para algumas creches.

  • DURAÇÃO: 00:04:38
João Doria anuncia o Programa Alimento para Todos (Crédito: Reprodução)

João Doria anuncia o Programa Alimento para Todos

Crédito: Reprodução

Por Pedro Durán

A empresa responsável por produzir o produto chamado pelo prefeito João Doria de “abençoado” e que seria capaz de suprir necessidade de pessoas desnutridas não tem fábrica em atividade e nem capacidade de produzir em escala.

A plataforma Sinergia, empresa criadora da “farinata”, opera hoje com a ajuda de indústrias licenciadas, mas nunca produziu em escala, apenas amostras do produto que foram distribuídas para algumas creches.

Em entrevista à CBN, a dona da empresa, Rosana Perrotti, disse, no entanto, que não pode revelar o nome das indústrias parceiras por acordos de confidencialidade.

“Nossa fábrica foi inuaugurada em 2013 mas nós não tínhamos volume suficiente pra processar porque são tecnologias que são aplicadas na indústria de alimentos e farmacêutica e que demandam volumes. Então agora nós vamos fazer um estudo de qual é o volume e nós vamos adequar essas máquinas para esses volumes”, diz Rosana.

Rosana diz ainda que muito provavelmente o produto nem será distribuído em São Paulo, até porque pra isso é necessário um estudo de análise da população desnutrida, que seria alvo do programa “Alimento para Todos”.

A secretária municipal de Direitos Humanos, Eloísa Arruda, reconhece que como a lei que cria o programa acabou de ser criada, não dá pra prever quando a distribuição da farinata começaria.

“O plano de atuação para que a lei seja colocada em prática está só começando. A lei foi aprovada há um mês então nós ainda não temos esse número. Então esses números precisam ser apurados, as populações identificadas para que nós façamos a complementação nutricional para determinada população”, diz a secretaria de Doria.

Muito embora a secretária reconheça que a distribuição só seria feita pra grupos muito específicos da população paulistana, ela fala em levar o produto para países da África e para Síria.

Feita a partir de restos de alimento perto de vencer como feijão, arroz, batata e tomate, a farinata não tem uma tabela nutricional única, suas propriedades nutritivas dependem da base de processamento. Ela ainda pode ser consumida no formato original ou servir de base para pães, bolos, sopas e shakes.

O doutor em sociologia com oito livros publicados na área de alimentação, Carlos Alberto Doria, diz que a ideia da prefeitura é um absurdo.

“A invenção de uma comida genérica, paletizada, ela ocupa que função? A função de alimentar um animal! Quando o grande problema dos pobres, da população carente, é a falta de cidadania, de inserção. Então você vai alimentar alguém que foi posto à margem da sociedade com alimentos que também foram descartados e estão à margem da sociedade, que é o lixo. Então essa coisa que eu acho do ponto de vista humanitário gritante, um absurdo”, diz ele.

A adoção da farinata pela gestão Doria vem sendo criticada por diversos órgãos. O Conselho de Segurança Alimentar da Presidência da República pediu à Prefeitura informações técnicas do produto.

Chefs de cozinha de renome como Rita Lobo e Paola Carosella também criticaram a ideia nas redes sociais.

O Conselho Regional de Nutricionistas de São Paulo, também se manifestou contrário à distribuição do produto que pode ter forma de farinha ou se assemelhar a biscoitos de povilho.

A vice-presidente do conselho, Denise Hernandez, diz que a ideia da prefeitura vai contra as diretrizes nacionais do Ministério da Saúde e do Ministério do Desenvolvimento Social, que incentivam o consumo da chamada “comida de verdade”.
“Nós entendemos que o ser humano tem direito ao alimento de verdade, primordialmente o alimento in natura. O brasileiro ele tem, sim, que comer o arroz com feijão, uma alimentação rica em frutas, verduras e legumes. E há muitas políticas na cidade de São Paulo que já fazem isso. Tem sim que incentivar a distribuição de alimentos com um custo menor e promover um fácil acesso aos alimentos in natura para a população brasileira. Isso sim que tem que ser feito”, diz.

 

A dona da Sinergia, Rosana Perrotti, disse ainda que não foi atrás de nenhum conselho nutricional para discutir a produção e distribuição da farinata, mas que tem amigos nesses conselhos e que a criação da farinata foi resultado de um processo que envolveu médicos, nutricionistas e engenheiros de alimentos. No entanto, ela não nomeou nenhum deles.

Anúncios

O PreFake dançou: DEM desiste de Doria e foca em Luciano Huck

VIA: ESTADÃO

A última pesquisa Datafolha jogou água na animação do DEM com a candidatura do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), ao Planalto. O partido se reuniu várias vezes com o tucano e abriu suas portas para ele, mas o discurso mudou. Se Doria continuar derretendo, mesmo que ingresse na sigla, demistas dizem que não vão entrar num “projeto kamicaze” de comprar briga com o PSDB, um aliado histórico, e com Geraldo Alckmin para lançar o prefeito ao Planalto. O foco do DEM se voltou para Luciano Huck, com quem a sigla mantém encontros frequentes.

Consensual. A avaliação de um integrante da cúpula do DEM é que se João Doria iniciar uma tendência de queda irreversível nas pesquisas “nem ele será candidato se tiver juízo”.

Pode entrar. A desconfiança do DEM com João Doria não significa que as portas do partido se fecharam para ele. Ninguém vai negar abrigo para o prefeito da maior cidade do País, já a vaga de candidato…

#ficaadica. Embora animado com Luciano Huck, o DEM pode apoiar a candidatura de Geraldo Alckmin ao Planalto caso o tucano escolha o secretário Rodrigo Garcia para ser seu candidato ao governo de São Paulo.

Vai logo. Durante o julgamento do Supremo sobre medidas cautelares, ministros usaram o sistema de mensagem eletrônica interna para pressionar a presidente Cármen Lúcia a encerrar logo a sessão, o que ajudou a tensioná-la.

No-show. Era véspera de feriado e três ministros disseram que tinham voo marcado. Além de outro que queria sair às 18 horas. A sessão foi até às 22 horas.

Bola cantada. Alvo de críticas por ter votado a favor de submeter ao Congresso medidas cautelares contra parlamentares, Cármen Lúcia disse a interlocutores, ontem, que estava triste, mas não surpresa.

Do jogo. A ministra foi para a sessão sabendo que iria desempatar o placar.

Dois V. Amigo de Aécio Neves, o senador Antonio Anastasia tem demonstrado confiança de que o tucano terá o mandato de volta.

Força tarefa. Deputados do PSB, PPS, PSOL e PSDB decidiram apresentar relatório alternativo admitindo a abertura de processo contra o presidente Michel Temer. O parecer contesta o do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), que rejeitou a denúncia.

Leva tempo. O pedido da defesa do ex-presidente Lula para que a Polícia Federal ateste a autenticidade dos recibos de aluguel do apartamento vizinho ao do petista é de difícil operacionalização. O laudo da perícia em mais de 20 documentos demora duas semanas.

CLICK. O chanceler Aloysio Nunes participa na África de reuniões para discutir acordos bilaterais. Em Gana, visitou a ‘Brazil House’, construída por escravos.

Para poucos. A arma Desert Eagle, defendida pelo presidenciável Jair Bolsonaro para equipar a polícia caso eleito é de uso restrito até nas forças americanas. Só o Seal, que tem no currículo a morte do Bin Laden, usa. E apenas uma das nove unidades têm essa autorização. A arma é fabricada nos Estados Unidos e em Israel.

Mira. Bolsonaro experimentou a Desert Eagle num estande de tiro em Miami e acertou os três no centro do alvo.

Pronto, Falei! 

“O tribunal errou muito. É grave o consórcio que foi feito entre o Supremo e o Janot”, DO MINISTRO GILMAR MENDES, DO SUPREMO, sobre a Corte ter referendado pedidos do ex-procurador-geral.

Polícia suspende depoimento do filho de Lula sobre operação em sua casa

VIA: FOLHA

A Polícia Civil suspendeu, por tempo indeterminado, o depoimento de Marcos Lula, que foi intimado a ir a uma delegacia para falar sobre a operação de busca e apreensão feita na casa dele na terça (10).

OUTRA COISA
A Justiça também devolveu ao filho de Lula todos os aparelhos apreendidos na ocasião -como notebooks, CDs, DVDs e disquetes.

SEGUNDA ORDEM
A polícia diz que deflagrou a operação, alegando busca de drogas e armas, depois de receber uma denúncia anônima por telefone. Nada foi encontrado. O delegado responsável foi afastado do caso pela Secretaria de Segurança.

Bolsonaro cancela palestra em universidade americana onde houve abaixo-assinado contra a presença dele

A palestra estava marcada para esta sexta-feira, na Universidade George Washington, na capital do País. Mas, segundo informa a Folha de S. Paulo, foi cancelada pelo deputado Jair Bolsonaro, que visita os Estados Unidos. O organizador do evento, Mark Langevin, disse que ficou decepcionado. “Faz uma semana que eu estava notando uma certa ansiedade da turma (equipe do deputado). Hoje recebi um telefonema do chefe da delegação dizendo que não ia dar”, afirmou. Houve reação negativa da comunidade acadêmica contra a presença de Bolsonaro lá. Há um abaixo-assinado com 900 adesões contrário à presença dele lá. Segundo Langevin, a universidade iria manter a palestra mesmo assim. Só seria cancelada se houvesse ameaça de violência. A equipe de Bolsonaro diz que o deputado preferiu manter os compromissos em Nova York.

Dep. Marcus Vicente (PP-ES), falta na Câmara para chefiar viagem da seleção brasileira

VIA: ESTADÃO

Vice-presidente da CBF, Marcus Vicente (PP-ES) acompanha partida das Eliminatórias em La Paz e São Paulo

O deputado federal Marcus Vicente (PP-ES) tem faltado aos compromissos da Câmara desde o dia 3 deste mês para “servir” à seleção brasileira. O parlamentar é também vice-presidente da CBF e foi convidado pelo presidente da entidade, Marco Polo Del Nero, para ser o chefe da delegação nos jogos contra Bolívia, em La Paz, e Chile, em São Paulo, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.

Segundo o site da Câmara de Deputados, nesses últimos dias Vicente não tem marcado presença nas sessões no plenário, participado de votações ou frequentado reuniões de comissões da casa sob a alegação de estar em “missão autorizada”. A justificativa faz as ausências não serem passíveis de descontos nos vencimentos.

 

Marcus Vicente é deputado federal e vice-presidente da CBF
Marcus Vicente é deputado federal e vice-presidente da CBF Foto: Wilton Junior/Estadão

A reportagem do Estado viu o deputado na tribuna de convidados do estádio Hernando Siles, em La Paz. Vicente também esteve no Allianz Parque na última terça-feira para acompanhar a vitória sobre o Chile por 3 a 0, pela última rodada das Eliminatórias.

A assessoria de imprensa do deputado explicou que a viagem foi autorizada pela Câmara e que ele continuará a receber o salário integral, sem custo extra de passagens e diárias. Em nota, Vicente afirmou que a “Comissão de Constituição e Justiça da Câmara já deliberou sobre o tema e deixou claro que não há incompatibilidade para exercer a função de vice-presidente da CBF e de deputado federal concomitantemente”.

Em novembro de 2015, Vicente também viajou para acompanhar duas partidas da seleção brasileira pelas Eliminatórias, contra Argentina, em Buenos Aires, e Peru, em Salvador.

Marcus Vicente acompanha partida da seleção em La Paz, na Bolívia
Marcus Vicente acompanha partida da seleção em La Paz, na Bolívia Foto: Ciro Campos/Estadão

 

Masp deve ser o próximo alvo da onda Fascista Antiarte

VIA: ESTADÃO

Mais do que as 70 obras ali, as três que não estavam chamavam mais a atenção numa das aberturas mais aguardadas desta temporada de outono das artes em Nova York.

No miolo da rotunda que Frank Lloyd Wright criou para abrigar o Guggenheim, convidados olhavam perplexos na semana passada para a gaiola vazia onde deviam estar os répteis e insetos de Huang Yong Ping na maior exposição já dedicada à arte contemporânea chinesa na história dos Estados Unidos.

Um pouco mais adiante no caracol de concreto do museu, estariam um vídeo de Xu Bing, de dois porcos em cópula, e –mais problemático de todos– outro filme da dupla Sun Yuan e Peng Yu, em que oito cachorros bravos correm amarrados sobre esteiras, impedidos de se atacar.

Um abaixo-assinado com mais de 750 mil adesões pediu a remoção das peças. O Guggenheim disse não, depois cedeu, alegando ter sofrido ameaças que não quis detalhar. À boca pequena, corre o boato que curadores do museu teriam sido ameaçados de morte, e, no clima apocalíptico das guerras culturais no país, todos acharam melhor não forçar a barra.

O prejuízo, no entanto, foi colossal. Críticos, artistas e curadores caíram matando nas redes sociais. Um influente articulista resumia a colegas no vernissage que retirar uma obra já anunciada de uma mostra tem o mesmo efeito que fazer um aborto –uma vez grávida, na opinião dele, é melhor ter o bebê.

Mas esses são tempos distintos, tempos de tuítes raivosos do presidente da maior potência do planeta, tempos em que performances viram atos de apoio à pedofilia aos olhos do raciocínio perigoso de uma direita em ascensão.

Desde que o Santander Cultural, em Porto Alegre, interditou no mês passado uma mostra atacada nas redes sociais porque, na visão de seus detratores, promovia a zoofilia e a erotização de crianças, a tempestade só engrossou.

Logo depois, uma performance na abertura do Panorama da Arte Brasileira, em que um bailarino oferecia o corpo nu ao toque dos espectadores, no Museu de Arte Moderna paulistano, detonou até agressões a funcionários e ao público da instituição.

Enquanto isso, em Paris, o Louvre suspendeu a montagem de uma esculturado holandês Joep van Lieshout nos jardins em frente ao maior museu do mundo porque a obra parecia um homem penetrando um quadrúpede.

Seria um comentário, não importa se bem ou mal executado, sobre como seres humanos subjugaram o planeta e o meio ambiente. O episódio, aliás, traz à memória o ataque de vândalos a uma obra do americano Paul McCarthy, também na capital francesa, que parecia tanto uma árvore de Natal quanto um brinquedo erótico anal.

É como se na total ausência de assuntos mais urgentes no horizonte –a iminência de uma guerra nuclear com a Coreia do Norte, a crise dos refugiados, as catástrofes climáticas que se avolumam–, o mundo de repente se tornasse um reduto de puritanismo avesso às artes.

Na semana que vem, o Masp se prepara para entrar –sem querer– no olho desse furacão. “Histórias da Sexualidade”, uma mostra que vem sendo preparada há anos, entra em cartaz com um apanhado de obras que podem chocar os mais sensíveis.

Lá estará a mesma tela de Adriana Varejão que militantes do Movimento Brasil Livre chamaram de apologia da zoofilia –nunca viram Bosch–, uma fotografia de Wolfgang Tillmans de dois rapazes –vestidos– de mãos dadas e outros trabalhos com alguma nudez masculina.

O clima é tenso nos bastidores do museu da avenida Paulista, acostumado a ver de camarote os protestos raivosos cruzando seu vão-livre.

Diretores, curadores e responsáveis pela imagem do Masp temem que o vazamento de informações antes da abertura leve à censura de uma exposição que coroa uma série de outras voltadas à discussão sobre a representação do sexo na arte, todas elas até agora sem despertar ataques de nenhum grupo.

Nenhuma obra foi descartada da seleção até agora, por mais que tenha acendido a luz amarela na alta cúpula do museu. Mesmo assim, a estratégia de nada revelar sobre o que vem por aí e a tentativa um tanto esdrúxula de controlar tudo que pode ser dito sobre a mostra por seus organizadores pintam o quadro de um triste estado de pânico que assola até o museu mais importante da nação.

Investigação chega a Ratinho e rombo milionário de 74 milhões, choca o Brasil

Apresentador do SBT é alvo de investigação importante e assusta telespectadores.

O apresentador Carlos Massa, o popular Ratinho, acabou passando por momentos difíceis na última semana. O comunicador do #SBT acabou sendo alvo de uma investigação que envolve a Procuradoria-Geral da Fazenda brasileira. A apuração envolve o órgão que faz pare do Ministério da Fazenda e tenta entender o que teria acontecido com uma quantia de dinheiro milionária. O caso veio à tona através da coluna ‘Expresso’, que faz parte da Revista Época.

Ratinho se vê em situação problemática e é alvo de blitz do governo federalO comunicador é acusado de dar uma espécie de golpe na Receita Federal e não ter pago quantias referentes ao ‘Leão’, popular nome dado ao imposto de renda.

O valor que #Ratinho estaria devendo à Receita Federal chega a R$ 74 milhões. A quantia estaria sendo devida em tributos e ligada ao comunicador do SBT, conhecido por dar esporros em políticos famosos em seu programa na emissora de Silvio Santos.

Ratinho vive outro lado e é denunciado em blitz da Justiça por suposta sonegaçãoPor isso, agora o órgão do Ministério da Fazenda tenta dar uma resposta à altura em meio ao que acontece em torno da celebridade, que tem relação direta com muitos políticos brasileiros. Para garantir o pagamento, o órgão acabou penhorando alguns dos bens do famoso. Um desses bens, como mostra uma matéria do site TV Foco neste domingo (8), seria uma fazenda no Acre. A propriedade é avaliada em mais de 200 milhões de reais.

Aeronaves ligadas a Ratinho também viram alvo de investigação da JustiçaA Agência Nacional de Aviação Civil, a ANAC, também está no alvo da apuração.

Isso porque o Ministério da Fazenda pede que informações de aeronaves ligadas ao comunicador sejam repassadas ao órgão. A metodologia usada pelo Ministério, no entanto, virou alvo de contestação dos advogados do comunicador, que não concordam com a forma como os advogados estão fazendo as cobrança e do valor que Ratinho deveria. Enquanto toda essa pendência fica na Justiça, os telespectadores mostram-se chocados em torno do assunto.

Emissora de televisão vira polêmicaAlém de apresentador, Ratinho também é empresário. Ele é dono, inclusive, de uma emissora de televisão filiada ao SBT, a Rede Massa. Seu contrato com o SBT é diferenciado, em forma de parceria. A emissora de Ratinho não teria virado alvo de penhora para garantir o pagamento à Receita Federal. No entanto, o dado certamente está chamando a atenção de todo o país.

Frota é humilhado nas redes ao dizer que cursava sociologia em Universidade que nem oferecia o curso

Do Estadão

O ator Alexandre Frota criou polêmica nas redes sociais na tarde desta terça-feira, 10, após publicar foto no seu perfil do Twitter em que dizia estar fazendo um curso de graduação na Universidade Anhembi Morumbi. O problema é que, segundo a instituição, o curso não é oferecido pela universidade.

Meu primeiro dia na Universidade, estou fazendo Sociologia e pagando integral sem bolsa”, escreveu Frota na legenda da imagem. A assessoria de imprensa da universidade informou ao E+ que a graduação em Sociologia não existe em nenhuma modalidade (graduação, pós-graduação, ensino a distância ou curso de extensão).

Por meio de seu site oficial, a universidade informa apenas que há disciplinas de sociologia em cursos como licenciatura em História e em Pedagogia.

Logo após a postagem de Frota, alguns internautas reagiram negativamente, ironizando o ator pela inexistência do curso. Horas depois, ele publicou print de um usuário que o chamava de mentiroso. Na legenda da imagem, Frota afirmou que o internauta era uma dessas pessoas que “são fáceis de tirar do sério”.

O E+ tentou entrar em contato com o ator, mas não obteve retorno até a publicação desta matéria.

Veja as reações na Rede no E Mais Estadão

PIMENTEL LIDERA CORRIDA PARA GOVERNADOR EM MINAS COM 24,4%

Segundo levantamento realizado pelo Instituto Paraná Pesquisas, o governador Fernando Pimentel (PT) é favorito ao governo do estado de Minas Gerais; no primeiro cenário, Pimentel tem 24,4%, seguido por 18,8% de Alexandre Kalil, atual prefeito de Belo Horizonte, e por Aécio Neves, com 13,1%; já no segundo cenário, o atual governador tem vantagem ainda maior – 31,1% dos votos, contra 11,6% do ex-prefeito da capital Márcio Lacerda

Minas 247 – De  acordo com levantamento feito pelo Instituto Paraná Pesquisas, o governador Fernando Pimentel (PT) lidera a disputa para o governo do estado de Minas Gerais para 2018.

No primeiro cenário sondado, Pimentel tem 24,4%, seguido por 18,8% de Alexandre Kalil, atual prefeito de Belo Horizonte, e pelo senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), com 13,1%.

Já no segundo cenário mostrado aos eleitores, Pimentel tem vantagem ainda maior: 31,1% dos votos, contra 11,6% do ex-prefeito da capital Márcio Lacerda. Rodrigo Pacheco chega ao terceiro lugar com 6,8% dos votos.

O levantamento foi realizado entre 30/09 e 05/10 com 1.507 eleitores de 70 municípios de Minas Gerais. A margem de erro do levantamento é de 2,5% dos resultados.

Receita descobre esquema de venda de dados da Receita

Via: ESTADÃO

Operação Spy, deflagrada em conjunto com a Polícia Federal nesta terça-feira, 10, cumpre oito mandados de prisão preventiva, inclusive contra três servidores públicos no Rio Grande do Sul, envolvidos na comercialização de documentos extraídos de sistemas internos do Fisco

A Polícia Federal, em conjunto com a Corregedoria da Receita, deflagrou nesta terça-feira, 10, a Operação Spy, que apura a comercialização de dados extraídos de sistemas internos da própria Receita. Segundo a PF, a operação foi denominada Spy por se tratar de um caso de espionagem industrial, em nível internacional.

Cerca de 60 policiais federais e 10 auditores da Receita cumprem oito mandados de prisão preventiva, inclusive três servidores públicos, além de 12 mandados de de busca e apreensão nos estados do Rio Grande do Sul, Paraná, Rio de Janeiro e no Distrito Federal.

A Operação Spy, segundo informa a Polícia Federal, atribui aos integrantes do esquema os crimes de corrupção ativa e passiva, e lavagem de dinheiro.

A investigação teve início em setembro de 2016, a partir de informações da Corregedoria da Receita, que indicavam a atuação ilegal de servidores do Fisco Dados relacionados à atividade de comércio exterior eram extraídos de sistemas internos e repassados, mediante pagamento, por intermediários, a empresas que desempenham atividades de exportação ou importação.

As ordens judiciais de prisões e buscas foram decretadas pela 7.ª Vara Federal de Porto Alegre e se destinam à obtenção de informações complementares sobre as práticas investigadas.

Os decretos de prisão têm fundamento na garantia da ordem pública, da ordem econômica e por conveniência da instrução criminal.