Apresentador é intimado após abater filhote de ovelha na TV

Apresentador do GNT (Grupo Globo) é intimado pela polícia após abater um filhote de ovelha na TV. Rodrigo Hilbert, marido de Fernanda Lima, matou o animal diante das câmeras e chocou telespectadores e ONGs de defesa dos animais

Rodrigo Hilbert apresentador intimado matar ovelha programa gnt
Rodrigo Hilbert Alberton (reprodução)

O ator e apresentador Rodrigo Hilbert, de 37 anos, será intimado a prestar depoimento na 14ª Delegacia de Polícia, no Leblon, na zona sul do Rio.

Ele será ouvido, nos próximos dias, sobre episódio do programa “Tempero de Família”, do GNT, em que o apresentador causou polêmica ao abater, tirar a pele e assar um filhote de ovelha.

A denúncia foi feita por um ONG de proteção aos animais de Santa Catarina.

O episódio, veiculado em março de 2016, mostrava a realidade dos produtores rurais em Santa Catarina.

A produção mostra Hilbert em uma fazenda em Vista Alegre, onde abate um filhote de ovelha de cerca de seis meses de idade.

Depois, Hilbert e o fazendeiro tiram a pele do animal e cortam a carne em vários pedaços para fazer o assado.

Na época, as cenas exibindo o sangue do animal geraram revolta nas redes sociais.

Além de diversos comentários negativos, o público fez um abaixo-assinado online para que a emissora retirasse o programa do ar.

Porque ele assassinou ao vivo uma ovelha filhote, assassinou sorrindo, mostrando como é psicopata, monstruoso. Relatos de crianças que assistiram e não param de chorar, e perderam o apetite, e adultos também”, dizia o texto da petição.

Após a repercussão negativa, o apresentador pediu desculpas e disse que a intenção era mostrar a vida de um homem do interior.

Não tínhamos a intenção de incitar qualquer violência contra animais, mas apenas de registrar o dia-a-dia desses trabalhadores que lutam para criar e alimentar suas famílias. No entanto, por também respeitar aqueles que se manifestaram contra as cenas exibidas no programa, retiraremos as imagens em questão do episódio”, disse.

Vou levar isso tudo como um aprendizado. Ao mostrar o abate do animal em uma pequena fazenda, eu acreditava estar chamando a atenção para se conhecer a procedência dos alimentos, para se entender como é a cadeia produtiva do que consumimos. No entanto, qual não foi a minha surpresa ao perceber que, ao invés de passar uma mensagem de conscientização sobre o que comemos, vi surgir o ódio de muitos por mim”, completou.

Procurado por meio de sua assessoria de imprensa, o artista informou que não vai se pronunciar novamente sobre o assunto.

A ONG prestou queixa contra o apresentador na delegacia de São Joaquim, em Santa Catarina, no entanto, Hilbert poderá depor na delegacia do bairro onde mora. Segundo a Polícia Civil, ele deve depor ainda nesta semana, em data não definida.

Agência Estado

Anúncios

Lavradora realizou sonho e reencontrou arara desaparecida na natureza há 15 anos

Por BBC 

6zsowobfwqsuw68lks24sog11-1

Maria de Lourdes Oliveira, de 50 anos, e sua filha Damilys, de 16 anos, foram as responsáveis por mostrar ao mundo uma ararinha-azul (Cyanopsitta spixii) na natureza, 15 anos depois de seu desaparecimento.

A ave brasileira era considerada extinta em seu habitat natural, a caatinga, e apenas cerca de 130 indivíduos da espécie existem atualmente, em cativeiro, em projetos de reprodução no Catar, na Alemanha e no Brasil. Pesquisadores pretendem começar a reintroduzi-las na natureza a partir do ano que vem.

Mas, no último sábado, uma ararinha foi vista na zona rural de Curaçá, no extremo norte da Bahia, pela população local. A ararinha que ficou conhecida no Brasil como última de sua espécie na natureza também foi encontrada lá, em 1990, e desapareceu em 2000.

Pesquisadores da ONG de conservação SAVE Brasil e do ICMBio (órgão ambiental ligado ao governo federal), que fazem parte do projeto Ararinha na Natureza, foram notificados e se juntaram aos moradores em uma expedições de busca pelo animal. Sua origem ainda é um mistério.

A ararinha foi vista dentro da reserva natural na fazenda Caraibeiras, que pertence a Lourdes. Seu pai, que faleceu em 2015, aos 94 anos, sonhava em ver novamente os animais, que eram comuns em sua infância.