Masp deve ser o próximo alvo da onda Fascista Antiarte

VIA: ESTADÃO

Mais do que as 70 obras ali, as três que não estavam chamavam mais a atenção numa das aberturas mais aguardadas desta temporada de outono das artes em Nova York.

No miolo da rotunda que Frank Lloyd Wright criou para abrigar o Guggenheim, convidados olhavam perplexos na semana passada para a gaiola vazia onde deviam estar os répteis e insetos de Huang Yong Ping na maior exposição já dedicada à arte contemporânea chinesa na história dos Estados Unidos.

Um pouco mais adiante no caracol de concreto do museu, estariam um vídeo de Xu Bing, de dois porcos em cópula, e –mais problemático de todos– outro filme da dupla Sun Yuan e Peng Yu, em que oito cachorros bravos correm amarrados sobre esteiras, impedidos de se atacar.

Um abaixo-assinado com mais de 750 mil adesões pediu a remoção das peças. O Guggenheim disse não, depois cedeu, alegando ter sofrido ameaças que não quis detalhar. À boca pequena, corre o boato que curadores do museu teriam sido ameaçados de morte, e, no clima apocalíptico das guerras culturais no país, todos acharam melhor não forçar a barra.

O prejuízo, no entanto, foi colossal. Críticos, artistas e curadores caíram matando nas redes sociais. Um influente articulista resumia a colegas no vernissage que retirar uma obra já anunciada de uma mostra tem o mesmo efeito que fazer um aborto –uma vez grávida, na opinião dele, é melhor ter o bebê.

Mas esses são tempos distintos, tempos de tuítes raivosos do presidente da maior potência do planeta, tempos em que performances viram atos de apoio à pedofilia aos olhos do raciocínio perigoso de uma direita em ascensão.

Desde que o Santander Cultural, em Porto Alegre, interditou no mês passado uma mostra atacada nas redes sociais porque, na visão de seus detratores, promovia a zoofilia e a erotização de crianças, a tempestade só engrossou.

Logo depois, uma performance na abertura do Panorama da Arte Brasileira, em que um bailarino oferecia o corpo nu ao toque dos espectadores, no Museu de Arte Moderna paulistano, detonou até agressões a funcionários e ao público da instituição.

Enquanto isso, em Paris, o Louvre suspendeu a montagem de uma esculturado holandês Joep van Lieshout nos jardins em frente ao maior museu do mundo porque a obra parecia um homem penetrando um quadrúpede.

Seria um comentário, não importa se bem ou mal executado, sobre como seres humanos subjugaram o planeta e o meio ambiente. O episódio, aliás, traz à memória o ataque de vândalos a uma obra do americano Paul McCarthy, também na capital francesa, que parecia tanto uma árvore de Natal quanto um brinquedo erótico anal.

É como se na total ausência de assuntos mais urgentes no horizonte –a iminência de uma guerra nuclear com a Coreia do Norte, a crise dos refugiados, as catástrofes climáticas que se avolumam–, o mundo de repente se tornasse um reduto de puritanismo avesso às artes.

Na semana que vem, o Masp se prepara para entrar –sem querer– no olho desse furacão. “Histórias da Sexualidade”, uma mostra que vem sendo preparada há anos, entra em cartaz com um apanhado de obras que podem chocar os mais sensíveis.

Lá estará a mesma tela de Adriana Varejão que militantes do Movimento Brasil Livre chamaram de apologia da zoofilia –nunca viram Bosch–, uma fotografia de Wolfgang Tillmans de dois rapazes –vestidos– de mãos dadas e outros trabalhos com alguma nudez masculina.

O clima é tenso nos bastidores do museu da avenida Paulista, acostumado a ver de camarote os protestos raivosos cruzando seu vão-livre.

Diretores, curadores e responsáveis pela imagem do Masp temem que o vazamento de informações antes da abertura leve à censura de uma exposição que coroa uma série de outras voltadas à discussão sobre a representação do sexo na arte, todas elas até agora sem despertar ataques de nenhum grupo.

Nenhuma obra foi descartada da seleção até agora, por mais que tenha acendido a luz amarela na alta cúpula do museu. Mesmo assim, a estratégia de nada revelar sobre o que vem por aí e a tentativa um tanto esdrúxula de controlar tudo que pode ser dito sobre a mostra por seus organizadores pintam o quadro de um triste estado de pânico que assola até o museu mais importante da nação.

Anúncios

MODELO DIZ QUE NÃO PARTICIPARIA DE PROPAGANDA SE SOUBESSE DE CONTEÚDO RACISTA

Modelo Lola Ogunyemi, que aparece em uma propaganda da Dove que foi retirada de circulação após acusações de racismo, disse que jamais aceitaria o trabalho se soubesse que seria representada como inferior; “Se eu tivesse a mínima noção de que eu seria retratada como inferior, ou como o ‘antes’ de uma edição com antes e depois, eu teria sido a primeira a dizer um enfático ‘não”, disse em artigo publicado pelo jornal britânico The Guardian; “Isso vai contra tudo o que eu acredito”, completou

A modelo negra Lola Ogunyemi, que aparece em uma propaganda da Dove que foi retirada de circulação após acusações de racismo, disse que jamais aceitaria o trabalho se soubesse que seria representada como inferior.

Em um artigo publicado pelo jornal britânico The Guardian, Lola disse que “se eu tivesse a mínima noção de que eu seria retratada como inferior, ou como o ‘antes’ de uma edição com antes e depois, eu teria sido a primeira a dizer um enfático ‘não”. “Isso vai contra tudo o que eu acredito”, completou a modelo.

Na propaganda retirada de circulação, o vídeo mostra uma mulher negra tirando a camiseta para dar lugar a uma mulher branca, que também retira sua camiseta para dar lugar a uma terceira mulher.

A Dove reconheceu o erro e pediu desculpas oficiais pelo Twitter e pelo Facebook. “Em uma imagem publicada esta semana, erramos ao representar as mulheres de cor, e lamentamos profundamente os danos causados”, diz o comunicado da empresa.

Via: Brasil 247

Má alimentação compromete atividade cerebral, dizem especialistas

Via: Extra/O Globo

RIO – A falta de cuidados com a alimentação pode interferir no desempenho mental, aumentando os riscos de déficit de memória e até de doenças degenerativas, alertam especialistas. Apesar das constatações, o Brasil ainda sofre com índices alarmantes de dietas mal balanceadas. De acordo com estudo realizado pela Universidade de São Paulo (USP), 3 em cada 10 adolescentes paulistanos consomem alimentos ricos em gorduras e ausente de fibras, o que, segundo a nutricionista clínica Luciana Ayer, pode comprometer a atividade cerebral.

– O sistema neurológico precisa de gorduras boas para manter o bom funcionamento das células. A ingestão de gorduras trans, presentes em produtos industrializados, intoxica a célula, o que interfere na atividade cerebral. Os aditivos químicos em excesso, presentes em corantes, adoçantes e no glutamato monossódico, entram nos neurônios ocupando o lugar dos nutrientes. Essas substâncias estranhas são tóxicas para o neurônio, comprometendo o desempenho cerebral – diz Luciana, que é co-autora do livro Nutrição Cerebral (ed. Objetiva).

Os efeitos desses alimentos no cérebro são adversos, podendo causar demência, défict de atenção, ansiedade e depressão. De acordo com o neurologista Cícero Galli Coimbra, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), a falta de uma dieta balanceada pode, inclusive, provocar doenças neurológicas. Para reduzir os riscos, ele aconselha a ingestão de alimentos ricos em proteínas e vitaminas.

– As doenças degenerativas têm ligação com o aspecto alimentar e emocional. As crianças hiperativas, por exemplo, têm respondido a tratamentos com ingestão de vitamina B6, presente no feijão, lentilha e fibras. Ela (vitamina) é necessária para a produção de um dos neurotransmissores do cérebro que melhora a atenção da pessoa e diminui a excitabilidade. O ômega 3 também estimula os neurônios. E os resultados obtidos com dietas ricas desses elementos são melhores do que os apresentados por remédios convencionais – alerta Galli.

Uma pesquisa realizada com crianças dos EUA (fonte) demonstrou que aquelas que comiam bem atingiam as maiores notas na escola. Para manter o cérebro em plena atividade, a nutróloga Lenita Zajdenverg, do Hospital Universitário Clementiano Fraga Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), chama atenção para o consumo de alimentos antioxidantes e de cor avermelhada.

-Dieta saudável, rica em vegetais, possui efeito antioxidante, o que prolonga a vida das células cerebrais. As proteínas presentes no queijo, no ovo e no leite são bastante benéficas para o funcionamento do cérebro. Há ainda estudos que apontam a melhoria da atividade cerebral e a diminuição do risco de demência com o uso de frutas vermelhas no cardápio – diz Lenita.

Mas vale ressaltar que não adianta tomar suplementos alimentares ricos em colina – presente no ovo – ou em caroteno – encontrado nas frutas vermelhas – para depois ir para um rodízio de pizza. Lenita, inclusive, alerta que o consumo em demasia de vitaminas pode ser maléfico à saúde. Portanto, antes de incluir esses produtos complementares no cardápio diário, é preciso consultar um especialista para saber a quantidade necessária que pode ser ingerida.

É preciso ter cuidado também com o preparo de determinados alimentos para, em longo prazo, não comprometer a atividade dos neurônios. As carnes assadas em grelha, principalmente as aves, podem estimular o desenvolvimento de mal de Parkison, alerta Cícero Galli. As altas temperaturas durante o cozimento estimulam a formação de substâncias que causam danos irreversíveis aos neurônios. Para evitar esse efeito, o especialista em neurologia aconselha o consumo de peixes em forma de ensopado. Isso não quer dizer que as outras carnes devam ser abolidas da dieta. Basta ingeri-las com moderação, destaca.

Seguidor de Bolsonaro é Preso, por Xingar Juliana Paes em Gravação de Novela

Via: IG

Gravação de ‘A Força do Querer’ termina em confusão:

Morador foi levado pela Polícia Militar após xingar elenco e equipe.

Uma briga agitou os bastidores de ‘A Força do Querer’. Um núcleo da novela está gravando na praia do Foguete, em Cabo Frio, no litoral do Rio. Na cidade, aliás, foram gravadas cenas como a surra de Bibi (Juliana Paes) em Carine (Carla Diaz), conforme a coluna já havia adiantado.

No último fim de semana, porém, uma confusão nada cenográfica interrompeu as gravações da trama de Glória Perez. Segundo testemunhas, um morador de uma das casas vizinhas a locação, xingava Juliana Paes a plenos pulmões da sua varanda. Era só o diretor dar o ‘gravando’, que o médico gritava contra a TV Globo e a favor de Bolsonaro, para atrapalhar o andamento das cenas, que exigiam silêncio.

A confusão foi tanta que a Guarda Municipal teve que acionar a Polícia Militar. As autoridades foram chamadas de ‘bando de merdas’ pelo morador. O médico acabou algemado e preso por desacato a autoridade. A equipe e os curiosos aplaudiram a atuação da PM e, enfim, puderam continuar com as gravações.

Abraço de irmãos acaba em ataque homofóbico e morte na Bahia

Via: O Globo

SALVADOR – José Leonardo da Silva, 22 anos, não imaginava que o gesto inocente de caminhar abraçado com seu irmão gêmeo, José Leandro, despertaria a ira de outros homens. Os gêmeos foram espancados por cerca de oito pessoas na madrugada do último domingo (24) quando voltavam do Camaforró, na cidade de Camaçari (Grande Salvador). Leonardo morreu no local ao receber várias pedradas na cabeça, enquanto Leandro foi levado ao Hospital Geral de Camaçari com um afundamento na face, mas já recebeu alta.

Os agressores, que não tinham passagem na polícia, foram presos no mesmo dia do crime e estão custodiados na 18ª Delegacia (Camaçari). Segundo a delegada da 18ª DT, Maria Tereza Santos Silva, trata-se de um crime de homofobia

– Pensaram que eles fossem um casal homossexual. Os agressores e as vítimas não se conheciam e não tiveram nenhuma briga anterior, por isso acho que a motivação seja a homofobia – explica.

A delegada relata que o grupo desceu de um micro-ônibus ao ver os gêmeos abraçados e iniciou as agressões.

– Eles alegaram que acharam que era um homem e uma mulher brigando – conta Maria Tereza. Após as investigações, ela indiciou três das sete pessoas conduzidas para a delegacia. Douglas dos Santos Estrela, 19; Adriano Santos Lopes da Silva, 21; e Adan Jorge Araújo Benevides, 22; foram autuados em flagrante por homicídio qualificado (por motivo fútil) e formação de quadrilha. Diogo dos Santos Estrela, irmão de Douglas, está foragido.

Segundo a delegada Maria Tereza, durante as agressões, Leonardo reagiu, conseguiu tomar a faca da mão de Diogo e saiu caminhando. Ao ver Leonardo com a faca que pertencia a Diogo, Douglas perguntou onde estava seu irmão.

– Leonardo respondeu que não sabia. Douglas pediu para ele largar a faca e conversar. Depois, Adriano meteu um paralelepípedo na cabeça de Leonardo e Douglas pegou a mesma pedra e golpeou várias vezes a cabeça da vítima – relata a delegada Maria Tereza. Adan foi o que desferiu os socos que provocaram o afundamento na face de Leandro, que sobreviveu.

Para a delegada Maria Tereza, o crime contra os gêmeos mostra um problema social.

– Estamos no século 21 e matar uma pessoa porque é homossexual é um absurdo. Um jovem pagou com a vida porque foi confundido com um gay – destaca a delegada. O presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB), Marcelo Cerqueira, afirma que o episódio demonstra claramente o grau de homofobia cultural presente na sociedade.

– Esse caso mostra o perigo que é ser homossexual e demonstrar carinho em público. A gente repudia a situação e chama a atenção para a aprovação da lei que torna a homofobia crime no Brasil. Enquanto isso não acontecer, muitos casos vão se repetir – ressalta.

– Defender os direitos dos homossexuais é defender os direitos humanos – completa.

Em julho do ano passado, um caso semelhante ocorreu no interior de São Paulo, na cidade de São João da Boa Vista. Pai e filho foram espancadosem uma feira agropecuária porque estavam abraçados, assistindo às apresentações, quando um grupo com sete homens se aproximou e perguntou se eles eram gays.

O pai explicou que não, e o grupo foi embora, mas voltou logo depois e começou uma sessão de espancamento contra os dois.

Leia mais: https://oglobo.globo.com/brasil/abraco-de-irmaos-acaba-em-ataque-homofobico-morte-na-bahia-5330477#ixzz4uVMCmEN3
stest

NO TWITTER, JUNINHO PERNAMBUCANO PEDE QUE ‘BOLSOMINIONS’ DEIXEM DE SEGUI-LO

O ex-jogador e atualmente comentarista esportivo Juninho Pernambucano usou o Twitter para criticar os defensores das ideias de extrema direita do deputado federal e pré-candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSC-RJ). “Não sabia que bolsominions me seguiam. Por favor não me sigam. Não quero quantidade de seguidores e sim qualidade humana e caráter deles!”, disse o jogador em sua conta no Twitter.

“Só pra esclarecer, to tuitando sem sono 33 mil pés. Assumo tudo que disse e peço, vaza bolsominions. Te respeito fora de meu Twitter!Apenas”, completou em seguida em uma resposta a um seguidor que o chamou de “preconceituoso”.

22136899_1754249491254519_6743244210205186728_o.jpg

A reação de Juninho pernambucano vem na esteira de uma outra polêmica acontecida há cerca de uma semana. Na ocasião, também pelo Twitter, o ex-jogador criticou os “Hater brasileiro- jovens adultos, brabinhos na rede, xingam pesado mas moram com papai e mamãe e não pagam uma conta! O mundo os espera!”. “Retrato dos esquerdistas da Zona Sul do Rio”, respondeu um internauta. “Tá em casa com mamãe né”, rebateu Juninho.

Via: Brasil 247

Depois de ser Condenado por Incitação ao Estupro, Bolsonaro agora é condenado por Racismo contra Quilombolas

Via: O Globo

Lembra-se das declarações de Jair Bolsonaro em relação aos quilombolas (“que não servem nem para procriar”), em abril, no Clube Hebraica, no Rio? Pois bem. O deputado acaba de ser condenado a pagar R$ 50 mil por danos morais.

A ação é do MPF, e a sentença, da juíza Frana Elizabeth Mendes, da 26ª Vara Federal do Rio.

Peça com Jesus trans volta a São Paulo sob Ameaças

Nas redes sociais, a diretora e a estrela de ‘O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu’ sofrem ameaças

Via: ESTADÃO

“Ridículo”, diz uma internauta. “Desrespeito com a religião alheia.” Essas são algumas das críticas, publicáveis, encontradas nas redes sociais sobre a realização da peça O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu, que volta a São Paulo nesta quarta-feira, 27, e na quinta, 28, no Sesc Santo Amaro.

A peça foi notícia nas últimas semanas após um juiz de Jundiaí determinar a proibição da apresentação na unidade do Sesc na cidade, que seria em 15 de setembro, com base num processo movido por uma moradora. Na decisão, o juiz afirmou que a peça era “atentatória à dignidade da fé cristã” e ofenderia um grande número de pessoas, por trazer Jesus Cristo reencarnado como uma mulher transexual.

O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu (17/6)
O espetáculo – mistura de monólogo e contação de histórias – mostra Jesus no tempo presente na pele de uma mulher transgênero, vivida pela atriz Renata Carvalho. Histórias bíblicas – como “O Bom Samaritano”, “A Semente de Mostarda” e “A Mulher Adúltera” – são recontadas sob uma perspectiva contemporânea, propondo uma reflexão sobre a opressão e a intolerância sofridas por pessoas trans e por minorias em geral na sociedade. Foto: Ligia Jardim

“Apesar de saber que a peça pode causar opiniões contrárias, a gente nunca achou que seria alvo de censura”, afirma ao Estado a diretora do espetáculo, Natalia Mallo, que lembra que o Estado é laico e critica a decisão. “Ficamos tristes de ver a lei aplicada daquela forma, baseada em opinião pessoal.”

A peça já seguiu para Porto Alegre, onde dois juízes negaram pedidos de proibição do espetáculo, e agora volta a São Paulo, onde já havia sido apresentada. “Antes de toda a polêmica, já havia sido apresentada 70 vezes”, diz Mallo.

Depois da proibição em Jundiaí, Natalia afirma ter sofrido ataques virtuais, além de ter tido os pneus do carro furados. “Recebemos ameaças horríveis, de morte e tortura, tudo em nome de Deus”, desabafa. “É interessante que a peça fala justamente do uso da mensagem cristã para excluir quem quer que seja, quando ela deveria ser de inclusão e solidariedade.”

A peça é uma versão do texto escrito pela dramaturga escocesa – e transexual – Jo Clifford. Na adaptação brasileira, a atriz Renata Carvalho assume o monólogo. Ela também recebe ameaças, mas diz já estar “acostumada”. “Sou uma pessoa travesti, que já conhece essa violência e ódio”, afirma. “A Natalia se expôs mais agora e começaram a atacá-la. Está sofrendo transfobia mesmo sendo cisgênero.”

Para Renata, o maior problema dos que criticam o espetáculo é a falta de informação. “As pessoas não querem conhecer ou dialogar, é algo estrutural”, diz a atriz, que lembra que o Brasil é o país que mais mata travestis e transexuais no mundo, de acordo com levantamentos como o do Grupo Gay da Bahia.

“Seria bom se as pessoas se dispusessem a assistir, para depois discutir e colocar suas questões”, afirma Natalia. Junto com Renata, ela participa na sexta-feira, 29, de um debate no próprio Sesc Santo Amaro.

Apesar das ameaças, protestos e processos, O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céusegue a sua turnê pelo Brasil, sem alterações. Ao Estado, a assessoria do Sesc confirmou que mantém normalmente as próximas datas do espetáculo em suas unidades. Além da versão brasileira, Natália Mallo estreia em outubro uma versão em espanhol, que passará pelo Uruguai e pela Argentina.

OBRAS CENSURADAS EM PORTO ALEGRE SÃO PROJETADAS EM MUSEUS DE NY

images|cms-image-000562719.jpg

Revista Fórum A pressão do Movimento Brasil Livre (MBL) e de grupos de direita que culminou no fechamento da exposição “Queermuseu” em Porto Alegre (RS), no início do mês, começa a gerar o efeito contrário. Com a polêmica, a mostra que reúne obras tratando da questão de gênero e sexualidade ganhou repercussão mundial e, graças à iniciativa de Cibele Vieira, uma das artistas da exposição, várias das obras censuradas foram parar em Nova Iorque.

No sábado (23), em um evento batizado de NY Loves Queermuseu, dezenas de obras da exposição foram projetadas na fachada do New Museum, do Whitney Museum of American Art e do Bushwick Museum.

Além das obras, foram projetadas mensagens como “Brazil, the world is watching” (em português, “Brasil, o mundo está assistindo”), “ditadura nunca mais” e “Brasil, mostra a tua cara”. Também foram distribuídos às pessoas que passavam pelas ruas panfletos explicando a censura do Santander Cultural.

O efeito reverso da tentativa de censura não para por aí. No final da semana passada o jornal O Globo anunciou que a mostra Queermuseu será exibida no Rio de Janeiro, informação que foi confirmada no final de semana pelo diretor do Museu de Arte do Rio (MAR), Evandro Salles. Ainda não há data prevista para a estreia.

Confira, abaixo, algumas imagens das projeções em Nova Iorque.

Alexandre Frota posta Frase Surreal, e é detonado por Memes

Os Internaltas não perdoaram a postagem de Alexandre Frota, que afirmar: ”Ser Hetero no Brasil vai virar crime em Breve. Podem esperar”

Bastou isso, para virar motivo de piadas. Todos tiveram que relembrar, algumas coisas que ele fez no passado:

Captura de Tela 2017-09-21 às 12.28.20

Captura de Tela 2017-09-21 às 12.29.55

Captura de Tela 2017-09-21 às 12.42.37