A coluna “Erramos” perdeu sua principal colaboradora: Eliane Tucanhede foi demitida da Folha

eliane_cantanhede18_demissao.jpg

A reestruturação da Folha atinge um ícone do colunismo político: a jornalista Eliane Cantanhêde, que se notabilizou pela má vontade com o PT e com a presidente Dilma Rousseff. No início do ano, ela anunciou um apagão inexistente; na Copa, jogou no time da torcida contrária; nas eleições, não escondeu sua posição pró-tucanos; em fase de corte de gastos, a Folha já demitiu cerca de 25 profissionais nos últimos dias.

Via Brasil 247

A mais recente onda de demissões que atinge a redação do jornal Folha de S.Paulo alcançou uma de suas principais colunistas, a jornalista Eliane Cantanhêde. Ela publicou mensagem no Twitter, na noite de quinta-feira, dia 6/11, informando o fato. “Amigos do Twitter, aviso geral: amanhã eu não escrevo mais a coluna na Folha. Foi bom enquanto durou”, afirmou ela no seu Twitter.

Cantanhêde era a colunista da Folha mais alinhada ao PSDB, consequentemente sendo assim uma das jornalistas mais antipetistas da grande mídia. Sua má vontade com a presidente Dilma Rousseff era notória.

A Folha já demitiu cerca de 25 jornalistas nesta semana. Entre os demitidos estão os repórteres Flávia Marreiro, ex-correspondente do jornal em Caracas, Eduardo Ohata, de “Esportes”; Ana Krepp, de “Cotidiano”; Lívia Scatena, de “Gastronomia”; Euclides Santos Mendes, editor do “Painel do Leitor”; Samy Charanek, pauteiro de “Cotidiano”; Gislaine Gutierre, “Ilustrada”; e Thiago Guimarães, coordenador adjunto da Agência Folha.

A Folha alega motivações econômicas.

No Twitter, a saída de Cantanhêde tem gerado reações bem contrastantes. Há aqueles que comemoram e até sugerem que ela procure emprego na revista Veja ou “recontagem” do tempo de serviço, numa alusão ao pedido do PSDB de auditoria da eleição deste ano. Outros lamentam que a jornalista tenha deixado a Folha.

O jornalista Ricardo Noblat comentou a notícia: “Por economia, a Folha de S.Paulo demitiu vários jornalistas. Eliane Cantanhede, a colunista mais lida, foi um deles.”

Em sua última publicação no jornal, ela falou sobre as dificuldades enfrentadas pela presidente Dilma. Curiosamente, o texto dela de quinta-feira, dia 6/11, foi intitulado “O último bastião”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s