Não vai Sobrar 1: Sandro Mabel pede demissão e é o 4º assessor de Temer a deixar governo

1495629133091.jpg
Sandro Mabel desliga-se do governo. A foto é de 2011, época em que ainda era deputado Foto: André Dusek/Estadão

Via: Estadão

BRASÍLIA – O ex-deputado do PMDB Sandro Mabel disse nesta quarta-feira, 24, ao Estado que avisou ontem ao presidente Michel Temer que deixaria de atuar como assessor no Palácio do Planalto. “Acertei ontem com o presidente saída do governo”, disse. O Palácio do Planalto também já confirmou que Mabel está deixando suas funções no Palácio.

Mabel explicou que atuava como uma espécie de auxiliar do governo Temer, sem receber salário por isso. Ele também disse que já tinha combinado sua saída desde dezembro do ano passado. Agora, declarou, a cobrança da família pesou na decisão de deixar o governo.

Questionado se a citação dele na delação da Odebrecht na Operação Lava Jato e possíveis implicações em novas delações motivaram seu desligamento, Mabel afirmou que sua decisão não tem ligação com essas questões. “Eu estava no Planalto para ajudar o presidente. Eu sei que quem está na chuva é para se molhar, mas essas coisas não tiveram ligação alguma com minha decisão”, afirmou. “Estou voltando para casa”, disse Mabel, que é do Estado do Goiás e não tem mais mandato parlamentar.

Sobre a crise pela qual passa o presidente Temer em decorrência da delação da JBS, Mabel comentou: “Acho que o presidente vai conseguir superar este momento”. E acrescentou: “Quanto a mim, estou me aposentando. Vou sentir saudades do trabalho na política”.

Ao falar de sua atuação no Planalto, Mabel relatou que foi um colaborador. “Eu estive com o presidente em setembro e pedi para sair. Voltei a pedir em novembro e depois em dezembro. Agora mandei uma carta”, disse. “Na conversa de ontem, não teve nenhuma dificuldade, pois estava pedindo para sair fazia tempo e estava lá só para ajudar mesmo. Meu prazo no governo já tinha vencido”, concluiu.

Com Mabel, já chega a quatro o número de auxiliares diretos de Temer que deixaram o governo recentemente. Além dele, saíram José Yunes, Rodrigo Rocha Loures e Tadeu Filippelli. Este último foi preso ontem pela Polícia Federal por suspeita de desvios de recursos nas obras do Estádio Mané Garrincha para a Copa de 2014 quando ele era vice-governador do Distrito Federal. Ainda em novembro do ano passado, Temer já havia perdido Geddel Vieira Lima, que era ministro da Secretaria de Governo. Todos eles – Geddel e esses assessores – ajudavam Temer na interlocução com Congresso ou empresariado.

Em março deste ano, Mabel já tinha pedido desligamento do governo, porém afirmou que o presidente disse que não era um bom momento e pediu para que ele ficasse no cargo por pelo menos até o próximo semestre. Na época, Mabel, que foi um dos articuladores do processo de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff no Congresso, já negava que o pedido da saída do governo tenha ocorrido em razão de possíveis desdobramentos da Lava Jato.

Investigação. Poucas horas antes de a delação do empresário da JBS, Joesley Batista, ser divulgada pela imprensa, na última quarta-feira, 17, o Ministério Público Federal em Goiás tinha requisitado à Polícia Federal a abertura de inquérito para investigar supostos pagamentos ilícitos, em 2010, por executivos ligados à Odebrecht a Mabel (PMDB-GO), na época deputado.

O ex-deputado teria recebido R$ 100 mil em caixa dois, segundo delações premiadas.

Em outra delação da Odebrecht, Mabel é um dos políticos que supostamente teriam recebido propina das empreiteiras Odebrecht e Andrade Gutierrez em torno do projeto da Usina de Santo Antônio, no Rio Madeira, em Rondônia.  Na citação dos delatores, R$30 milhões teriam sido divididos igualmente entre o ex-deputado e outros dois políticos.

Procurado à época das duas reportagens pelo Estado, Mabel não quis comentar as afirmações dos delatores.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s