Fernando Holiday, do MBL, foi eleito usando caixa 2, revela portal

Jornal GGN – O verador Fernando Holiday, alçado à fama por ser membro do MBL (Movimento Brasil Livre), foi eleito fazendo uso de caixa 2, segundo reportagem reveladora do portal BuzzFeed. De acordo com a publicação, o agora parlamentar do DEM usou quase 5 mil reais em dinheiro pagar cabos eleitorais que trabalharam com panfletagem na reta final da disputa.

O montante corresponde a aproximadamente 10% do valor total que Holiday declarou ter usado na campanha à Justiça Eleitoral. O vereador nega as acusações, mas o Buzzfeed apresentou a planilha de pagamentos e colheu relatos dos trabalhadores admitindo os fatos.

Por Tatiana Farah e Severino Motta

Do BuzzFeed Brasil

Cabos eleitorais de Fernando Holiday, líder do MBL, foram pagos com caixa 2

A campanha do vereador Fernando Holiday (DEM) pagou em dinheiro vivo e não declarou gastos com um grupo de cabos eleitorais na reta final da eleição do ano passado. Holiday é um dos líderes do MBL (Movimento Brasil Livre).

O BuzzFeed Brasil obteve planilhas de pagamento com os nomes e números de documentos das 26 pessoas recrutadas para realizar panfletagem para o então candidato na região da avenida Paulista e da avenida Faria Lima (zona oeste de São Paulo). Ao lado dos nomes, estavam as assinaturas dos cabos eleitorais.

Procurado, Fernando Holiday negou irregularidades e disse que todas as despesas de sua campanha à Câmara dos Vereadores de São Paulo foram declaradas à Justiça Eleitoral.

A reportagem checou a veracidade das planilhas com quatro pessoas cujos nomes e assinaturas estavam nos papéis. Eles confirmaram terem prestado serviço para o candidato e relataram que o pagamento era feito, após cada dia de trabalho, em dinheiro, na praça de alimentação de um shopping na Paulista.

sub-buzz-25671-1489418033-1.png

Os cabos eleitorais recebiam R$ 60 dentro de um envelope com seus nomes ao final de cada dia de trabalho. Depois, assinavam a lista de presença no papel. Os panfleteiros são jovens que, à época, estavam desempregados.

Todos os ouvidos pelo BuzzFeed Brasil relataram a mesma história e disseram ter sido coordenados por uma mulher chamada Tatiane.

Ela é Tatiane Carvalho, estudante que aparece em fotos ao lado de Holiday e de outro líder do MBL, Kim Kataguiri. Tatiane era uma das administradoras da página de Holiday no Facebook.

A reportagem teve acesso a dois áudios de WhatsApp em que Tatiane relata como está sendo feito o trabalho de panfletagem de sua equipe à coordenação de campanha.

sub-buzz-21765-1489428710-5.png

Em um dos áudios, a jovem ativista ligada ao MBL relata que sobrou dinheiro porque dois cabos eleitorais não apareceram para trabalhar e que vai pagar um extra aos demais para estenderem o trabalho por uma hora.

Em outro, Tatiane afirma que o trabalho de sua equipe é mais sofisticado do que o fornecido pela empresa Classe A – a empresa que aparece na prestação de contas do candidato à Justiça Eleitoral como a responsável pela distribuição de panfletos.

Na prestação de contas de campanha de Holiday constam três notas fiscais emitidas pela empresa Classe A que somam R$ 4.755 pelo serviço de panfletagem. Uma das notas fiscais, de R$ 2000, coincide com o período em que os cabos eleitorais trabalharam: de 27 a 30 de setembro.

Mas esta nota não corresponde ao pagamento dos cabos eleitorais arregimentados por Tatiane Carvalho.

Procurada, a empresa Classe A explicou ao BuzzFeed Brasil que não paga os trabalhadores em dinheiro e não convoca pessoas que não sejam de seu quadro de funcionários.

A Classe A afirmou que não paga os empregados por dia de trabalho prestado, mas sempre por mês. O pagamento é feito por cheque ou depósito bancário.

Os cabos eleitorais ouvidos pela reportagem nunca ouviram falar da Classe A e dizem ter sido recrutados pela campanha do então candidato. Dizem que Holiday aparecia de passagem durante a panfletagem.

Os cabos eleitorais cujo pagamento não foi declarado trabalharam com camisetas da campanha, enquanto os funcionários da Classe A usavam o uniforme da empresa.

Outra diferença é que a empresa informou nunca ter arregimentado trabalhadores pelo Facebook, enquanto os cabos eleitorais ouvidos pelo BuzzFeed Brasil encontraram a oferta de trabalho pela rede social.

Os irmãos Bruno e Bruna Feitosa de Santana são dois dos cabos eleitorais que estão na planilha a que a reportagem teve acesso. Bruna contou que encontrou a oferta de trabalho em um post do Facebook. Ela convidou o irmão e outra colega para participar do trabalho.

Além dos dois irmãos, outras duas mulheres que confirmaram ter trabalhado na campanha, Bruna Thaisa Ribeiro Branco e Jaqueline Aparecida de Paula, contaram histórias idênticas sobre como foram arregimentadas e receberam em dinheiro vivo

Veja a reportagem completa aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s