Outro que gritava Fora Dilma: Caso de arcebispo é o de mais alta ‘patente’ entre escândalos de pedofilia

Curtam: Contra o Golpe Fascista

renúncia do arcebispo da Paraíba, dom Aldo Pagotto, 66, se tornou o caso de mais alta autoridade da Igreja Católica relacionada à pedofilia entre os de maior repercussão pública dos últimos anos no país. Mas está longe de ser o único.

13592322_1622671068046272_4604284625437764109_n

renúncia do arcebispo da Paraíba, dom Aldo Pagotto, 66, se tornou o caso de mais alta autoridade da Igreja Católica relacionada à pedofilia entre os de maior repercussão pública dos últimos anos no país. Mas está longe de ser o único.

O anúncio da saída do cargo ocorre seis meses após a estreia no Brasil de “Spotlight – Segredos Revelados”, vencedor do Oscar de melhor filme e que relatou em uma extensa lista escândalos de abuso sexual envolvendo um monsenhor e seis padres brasileiros de quatro cidades.

Os casos em “Spotlight” citam religiosos de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Alagoas e resultaram em pedidos de perdão, prisões e condenações na Justiça.

Um deles é o do padre José Afonso Dé, 83, de Franca, que recebeu a maior pena, embora nunca tenha sido preso. Condenado a mais de 60 anos de prisão por abuso sexual a oito coroinhas, ele afirmou no mês seguinte ao lançamento do filme no país que estudava processar os seus produtores, pois tinha sido absolvido em sete das nove condenações de abuso.

Internado há pelo menos 15 dias em coma na Santa Casa de Franca devido a pneumonia e câncer de próstata, o religioso deve ter o desejo mantido por seus familiares, segundo afirmou nesta quarta-feira (6) seu advogado, José Chiachiri Neto.

“A família deve seguir a vontade dele, caso venha a ser absolvido em todos os casos. Poderá ser exigido o pagamento de indenização por ofensa à honra, por estar na chamada ‘Lista da Vergonha'”, disse Chiachiri.

16188319

Os outros dois casos ainda não foram julgados. A repercussão do caso fez o então bispo de Franca, dom Pedro Luiz Stringhini, pedir perdão em nome da diocese.

O filme, inspirado numa investigação jornalística intensa do “The Boston Globe”, mostrou como a cúpula local da Igreja Católica tinha acobertado dezenas de padres acusados de molestar crianças e adolescentes.

Franca aparece na lista ao lado do Rio, de Mariana (MG) e de Arapiraca (AL). Na cidade alagoana, três religiosos foram proibidos pelo Vaticano de celebrar missas ou exercer quaisquer atividades como padres após imagens de um dos religiosos fazendo sexo oral com um jovem terem sido divulgadas em 2010 pelo SBT.

Assim como no caso do interior paulista, o bispo de Penedo, dom Valério Breda, pediu perdão em nome da igreja. Foram afastados os padres Edilson Duarte e Raimundo Gomes –condenados a 16 anos e quatro meses de prisão– e o monsenhor Luiz Marques Barbosa, condenado a 21 anos por exploração sexual. À época, eles negaram.

Um AVC matou Gomes em 2014. Os outros dois recorrem em liberdade.

Já na cidade mineira, o padre Bonifácio Buzzi cumpriu pena por oito anos (2007 a 2015), após duas condenações por abuso sexual de crianças, em 1995 e em 2004, e foi afastado.

Os registros no Rio ocorreram em Bangu, em 2007, e Niterói, na região metropolitana, em 2013. Os padres também foram suspensos pela igreja.

Os casos, no entanto, continuam sendo registrados no país. Em março, um padre foi afastado por suspeita de pedofilia em Diamantina (MG).

Questionada sobre o total de religiosos afastados de suas funções por algum elo com pedofilia nos últimos anos e sobre a renúncia do arcebispo, a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) não se pronunciou nesta quarta-feira (6).

Via: Folha de SP

Anúncios

5 comentários sobre “Outro que gritava Fora Dilma: Caso de arcebispo é o de mais alta ‘patente’ entre escândalos de pedofilia

    • É preciso que as autoridades brasileiras e mundial, bem como as autoridades religiosas apurem com mais rigor casos de pedofilia dentro das igrejas. Não só católicas, de todas as denominações, punindo com rigor esses criminosos que se escondem atrás da Bíblia, maculando a Palavra de Deus!

      Curtir

  1. A igreja católica há que permitir o celibato.
    Os pais devem ter o máximo de cuidado ao confiarem seus filhos aos religiosos.
    Os religiosos e igrejas, devem ter o mesmo tratamento que umremosa pessoa física ou jurídica. Todos devem ser iguais perante a lei.
    Apuração e punições no rigor da lei, aos infratores e igrejas às quais pertencem.
    Assim, eu creio que mínimizaremos o problema.

    Curtir

  2. Eu concordo, que a supervisão deverá se constante em cima das crianças. Os pais devem observar o comportamento das crianças e das pessoas que as rodeiam e não confiar. Devem confiar mas cuidando… É uma pena, onde as crianças deveriam estar segura, realmente se fossem seguidas as intruções de Jesus “Deixai vir a mim as criancinhas e não as impeçais, porque nelas estão o reino de Deus”, mas esse apego na realidade fica desorganizado por conta da crueldade dos infiéis.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s