‘Deus te fez assim’, diz Papa Francisco a um homem gay, assista.

‘Deus te fez assim’, diz Papa Francisco a um homem gay

Juan Carlos é uma das vítimas de pedofilia envolvendo o escândalo com um padre chileno.

Assista:

Via: GloboNews

Anúncios

“Se eu não for candidato, quero ser vice de Aécio”, diz Jair Bolsonaro

Deputado busca apoio para ser candidato pelo PP, quer incluir seu nome nas pesquisas de intenção de voto a partir de junho e pode embaralhar ainda mais o cenário eleitoral

Via: InfoMoney

SÃO PAULO – Nada tem mexido mais com a Bovespanos últimos meses do que as eleições presidenciais de outubro. Se já está claro para todo mundo que o favoritismo de Dilma não é tão grande quanto se imaginava até o ano passado, sobram dúvidas sobre as alianças partidárias e até mesmo sobre os nomes dos candidatos e vices. O “Volta, Lula”, por ora, é a mudança que mais poderia ter impacto no cenário eleitoral e no preço das ações das empresas brasileiras. Mas outra surpresa que pode pintar por aí e embaralhar ainda mais a disputa é a candidatura de Jair Bolsonaro (PP-RJ), o político brasileiro mais identificado com os eleitores de direita. Bolsonaro está em seu sexto mandato como deputado federal (PP-RJ), mas está disposto a abrir mão de uma nova reeleição para se candidatar à Presidência. “Se eu me candidatasse a deputado, ganharia fácil pela sétima vez, com numero recorde de votos. Mas de que adianta ser deputado e ficar assistindo o país afundar? Tenho que fazer alguma coisa”, afirmou ele em entrevista ao InfoMoney.

Capitão do exército, Bolsonaro diz que falta coragem a Ciro Nogueira, presidente nacional do PP e senador pelo Piauí, para lançá-lo candidato, visto que ele pretende declarar apoio à Dilma Rousseff, do PT, mesmo à revelia de parte dos diretórios estaduais do partido. Membros da agremiação estão colhendo assinaturas para que a escolha do palanque só ocorra após a Convenção Nacional.

O deputado também entrou com pedidos nos institutos de pesquisa (Datafolha, Vox Populi e Ibope) para que seu nome comece a aparecer entre as opções nos levantamentos de intenções de voto da população. “O presidente [Ciro Nogueira] está me sabotando porque, se eu começar a pontuar, o partido terá dificuldades em manter os benefícios do governo” afirmou. “Mas se meu nome entrar, depois de pontuar x% na primeira rodada de pesquisa, na segunda eu vou triplicar esse número”, diz.

Por outro lado, Bolsonaro, ciente das dificuldades de viabilizar a candidatura pelo partido, manifesta uma vontade até então não-declarada: “se eu não conseguir me candidatar, quero ser vice de Aécio Neves [PSDB]. Claro, nada disso nunca entrou em pauta e nunca ninguém falou sobre isso, mas seria uma grande honra para mim”, declarou.

Conheça o robô que lucrou 370% em 2 anos e lucre no piloto automático

Confira a seguir os principais pontos da entrevista com Jair Bolsonaro:

InfoMoney – O PP deve apoiar o PT na próxima eleição presidencial ao invés de lançar sua candidatura. Como o sr., que é um grande crítico ao atual governo, avalia essa decisão?

Jair Bolsonaro – Avalio como algo muito grave, pois, sem comentar corrupção, que é a especialidade deste governo, tem a questão da ideologia. No ensino fundamental, 30 milhões de garotos são envenenados diariamente com a doutrina marxista, visto que eles pregam que o capitalismo é o inferno e o socialismo é o paraíso. Ou seja, para onde estamos indo? O governo do PT prioriza comércio com países da América Latina que fazem parte do Foro de São Paulo, ou seja, tem uma proximidade e parceria extremamente preocupante com ditadores, como Nicolás Maduro [Venezuela] e Fidel Castro [Cuba]. Então a questão ideológica é muito forte e, para quem é capitalista e liberal, isso é horrível. Considero muito ruim para a imagem do partido, mas infelizmente existem os interesses, os benefícios que ele recebe. Só para constar, eu nunca votei no meu partido.

IM – Como o sr., que é de uma direita mais conservadora, vê o liberalismo na economia?

JB – Eu tenho muitas propostas da direita liberal, apesar de ser conservador. Acho extremamente importante cortar essa carga tributária, sou totalmente a favor da meritocracia, do livre mercado… Mas claro que não é tudo, afinal, eu sou a favor de um governo autoritário. O governo não pode perder a mão e deixar tudo no [setor] privado, senão vira palhaçada. O problema não é estar na mão do governo, mas, sim, a forma como o governo administra. Eu não estou falando em intervir desenfreadamente e quebrar as empresas públicas, como o governo atual faz, mas em uma administração autoritária, porém, bem feita.

IM – Quais são as principais propostas no âmbito macroeconômico? Como presidente, o sr. seria menos intervencionista e mais ortodoxo na condução da política econômica?

JB – Eu vou estimular a produtividade. O consumo é consequência e isso vai diminuir a inflação… O foco tem que ser na produtividade, e não no consumo. É isso que está errado, falta meritocracia. Não podemos ficar pendurados nessas porcarias de programas assistencialistas. No Brasil, nós temos uma das maiores taxas de desemprego do mundo, mas não temos produtividade. Se quem trabalha não produz bens nem serviços, como vamos ter crescimento do PIB desta forma? Pode escrever, se a presidente for reeleita, vamos continuar indo para o mesmo caminho. A inflação vai continuar subindo e a carga tributária também. Vai ficar insustentável.

IM – O que o sr. pensa sobre privatizações? É a favor de privatizar a Petrobras, por exemplo?

JB – Não. Sou contra privatizações. No entanto, pior que privatizar é “PTizar”. Dá para manter no controle do governo, mas sem destruir as empresas, como o governo do PT fez com a Eletrobras, a Petrobras e muitas outras. Tem coisas que não dá para não privatizar. O setor de telecomunicações, por exemplo, não tinha como não ter sido feito, mas a privatização da Vale eu fui contra… Petrobras, eu sou contra. Mas, claro, se for para “PTizar”, prefiro que privatize.

IM – Outra crítica por parte do mercado em relação ao governo atual é a falta de autonomia do Banco Central. O que o sr. pensa em relação a isso? É a favor ou contra?

JB – Todo mundo, quando é oposição, é a favor, mas, quando entra lá, quer ter sua cota de participação. O que acontece é que o economista é igual a um técnico do futebol: quando acaba o jogo, ele fala o que estava certo e errado, mas, durante o jogo, ele pode fazer pouco. Sou a favor de uma forma hibrida: uma parte com autonomia e outra, não.

IM – Se eleito presidente, qual seria sua equipe econômica? O sr. já tem algum nome para o Ministério da Fazenda, por exemplo?

JB – Não tenho nenhuma equipe econômica até o momento… Não tenho nenhum nome. Na verdade, muita gente foge de mim. Eu sou meu marqueteiro, empresário, tesoureiro… Claro, tem o pessoal que trabalha comigo, que é muito bom, mas eu me viro sozinho. E, mesmo assim, segundo as pesquisas de internet hoje, eu seria eleito presidente. Eu já pensei em algumas coisas para alguns ministérios, mas não nomes. Por exemplo, qualquer pai ou mãe gostaria que seu filho estudasse em um colégio militar, então meu ministro da Educação vai ser um general do exército.

IM – O que o senhor pensa sobre o mercado financeiro? Quais seriam suas medidas em relação a isso? Tomaria medidas positivas para a Bolsa?

JB – Confesso que ainda não pensei em nada nesse âmbito. Aliás, eu nem entendo muito dessa área, afinal, ninguém é perfeito, né? Eu reconheço as minhas deficiências, sou humilde. Tenho uma falha nesse âmbito, mas irei estudar e estruturar isso melhor caso minha candidatura seja aprovada.

IM – Caso não se candidate, qual é o candidato com o qual o sr. mais se identifica? Para quem o daria seu apoio pessoal, independente da opinião do seu partido?

JB – O Eduardo Campos está um pouco tímido em suas propostas e estratégias enquanto o Aécio Neves já se mostra muito mais simpático e agressivo. Eu sou uma oposição muito melhor que qualquer um dos dois, mas, se eu não for candidato, simpatizo muito mais com o Aécio, que é o representante da direita atualmente. Se eu não conseguir me candidatar, quero ser vice de Aécio Neves. Claro, nada disso nunca entrou em pauta e nunca ninguém falou sobre isso, mas seria uma grande honra para mim.

IM – Por favor complete a frase: “se eu for presidente, o Brasil vai…”

JB – Ser respeitado no mundo todo. Nós deixaremos de ser uma piada, como somos hoje, e começaremos a ser vistos com respeito. Todos vão querer fazer negócio conosco.

Com 32%, Lula é o mais preparado para acelerar o crescimento da economia, diz eleitor

Segundo pesquisa Datafolha, 32% dos entrevistados citaram o ex-presidente

Via: FOLHA

SÃO PAULO

O ex-presidente Lula é o pré-candidato ao Planalto mais preparado para acelerar o crescimento da economia do país, avalia o eleitor brasileiro. Segundo pesquisa Datafolha, 32% dos entrevistados citaram o petista como o melhor nome para desempenhar essa missão.

O resultado da pesquisa é bastante similar ao quadro geral de intenção de voto do eleitor, com o ex-presidente sendo seguido pelo deputado Jair Bolsonaro (PSL), com 15%, e Marina Silva (Rede), 8%.

Lula encerrou seu segundo mandato na Presidência, em 2010, com alta aprovação popular e uma taxa de crescimento do PIB de 7,6%, o maior índice desde 1985. Mas o PT depois levaria o país, no governo de Dilma Rousseff, a uma de suas mais graves recessões.

De 2014 a 2016, a produção e a renda do país encolheram 8,2%. Neste ano, o mercado estima um crescimento em torno de 1,7%.

Para reverter esse quadro de estagnação, Lula é o favorito de eleitores de todas as faixas etárias e regiões do país. No Nordeste, onde tradicionalmente tem maior aprovação, o petista é visto como o  melhor remédio para a economia por 51% dos entrevistados, contra apenas 8% do segundo colocado, Bolsonaro.

A vantagem do ex-presidente, porém, diminui conforme aumentam a escolaridade e a renda dos eleitores.
No grupo que possui apenas o ensino fundamental, ele atinge 37%, contra 9% de Bolsonaro. Entre os entrevistados com nível de ensino superior, ambos estão empatados, com 20%.
Do mesmo modo, Lula chega a 40%, versus 11% de Bolsonaro, no grupo com renda mensal de até dois salários mínimos. Entre os mais ricos, com mais de dez salários, o petista cai para terceiro (14%), atrás de Bolsonaro (22%) e do tucano Geraldo Alckmin (17%).

Nesse grupo, o ex-presidente fica tecnicamente empatado com Henrique Meirelles (MDB), —citado por 12%—, ex-ministro da Fazenda (governo Temer) e ex-presidente do  Banco Central (gestão Lula).

Preso desde 7 de abril, Lula ainda lidera a lista de intenção de voto para o Planalto quando seu nome é incluído entre os pré-candidatos. É o preferido de 30% dos entrevistados. Condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, o petista é inelegível, de acordo com a Lei da Ficha Limpa.

Segundo o Datafolha, a maioria da população acredita que o ex-presidente não será candidato, mas o número registrou queda na última pesquisa. Passou de 62% em abril para 55% no início de junho.
Já os que avaliam que ele participará da disputa passaram de 34% para 40%.

A percepção de que o ex-presidente não concorrerá às eleições, no entanto, não significa que os entrevistados acreditem que ele não deveria ser candidato. Nesse caso, constata-se um empate. Para 48%, Lula deveria ser impedido de concorrer, enquanto 49% são contra vetá-lo.
Quaisquer que sejam os candidatos, o eleitor acredita que saúde (41%) e educação (20%) deveriam ser a prioridade do próximo presidente.

A saúde também aparece, ao lado da corrupção, no topo da lista dos principais problemas do país. Foram mencionadas por 18% dos brasileiros. Em seguida foram citados o desemprego (14%) e a violência (9%).

Reprovado por 82% dos entrevistados, o governo de Michel Temer (MDB) registrou queda em sua nota média. O número chegou agora a 1,9, com a maioria (53%) atribuindo nota 0 ao presidente.

Em abril, a média era levemente melhor: 2,7, sendo que 41% deram nota zero.

Justiça condena Ciro por calúnia (Xingou empresário no Facebook)

Via: ESTADÃO

A Justiça do Ceará condenou o presidenciável Ciro Gomes (PDT) a pagar R$ 7 mil ao empresário e ex-prefeito Gaudêncio Gonçalves Lucena por reparação por danos morais por tê-lo xingado no Facebook. O episódio ocorreu em 25 de março de 2015, quando Ciro teria feito comentários “ofensivos e caluniosos pelo Facebook, com o único e exclusivo objetivo de denegrir, vilipendiar a imagem e a honra do requerente”, diz parte da ação.

“Nos debruçando sobre o fato concreto, o autor aponta como ato ilícito as declarações feitas por Ciro Gomes no Facebook, em 25 de março de 2015, com o seguinte teor: “Enquanto isso ‘Eunic$$o’ e sua quadrilha da, qual este cidadão faz parte vai faturar quase R$ 1  bilhão junto à assaltada Petrobrás. Atenção autoridades, só uma empresa desta quadrilha conseguiu um contrato sem licitação
e claramente superfaturado de  R$ 300 milhões! O nome da empresa é Manchester! E a ouvidoria da Petrobrás fez ouvidos moucos para as denúncias!”, consta da ação.

A decisão saiu três dias depois de Ciro Gomes chamar o vereador de São Paulo Fernando Holiday (DEM) de “capitãozinho do mato” em entrevista à Rádio Jovem Pan. O vereador demista reagiu nas redes sociais e disse que processará Ciro. “Imagina, esse Fernando Holiday aqui. O capitãozinho do mato, porque é a pior coisa que tem é um negro que é usado pelo preconceito para estigmatizar, que era o capitão do mato do passado”, declarou. (Andreza Matais e Naira Trindade)

Itamaraty não pode interferir em possível inquérito contra brasileiros na Rússia

Brasileiros protagonizam polêmicas durante a Copa do Mundo em solo russo

VIA: ESTADÃO

O Ministério das Relações Exteriores acompanha o caso dos brasileiros que geraram polêmica ao constranger uma mulher russa, mas ressalta que não pode interferir em uma possível abertura de inquérito na Rússia. “Denúncias sobre qualquer tipo de infração à legislação russa são recebidas e apuradas pelas autoridades daquele país”, disse trecho de nota enviada ao Estado.

O Itamaraty destaca que elaborou em conjunto com o Ministério do Esporte um guia consular para orientar torcedores e turistas brasileiros em viagem à Rússia durante a Copa do Mundo. O guia traz recomendações expressas contra atos de violência verbal, visual ou física, em especial que insultem ou humilhem pessoas em razão de gênero, raça, etnia, origem social, religião e orientação sexual. O documento fala inclusive de canções que violem normas de decoro.

O guia possui 138 páginas e tem dicas sobre as leis do país, costumes, idioma, moeda, documentação e transporte. Trecho da carta ressalta que “comportamento interpretado como assédio sexual enseja multa e prisão de até um ano”.

Outra parte do documento lembra que não cabe às autoridades diplomáticas brasileiras “evitar detenção de cidadão brasileiro ou garantir sua liberação, quando acusado de crime ou infração, ou providenciar-lhe tratamento diferenciado, em prisão, daquele prestado a nacionais russos”.

Seis escritórios de assistência consular auxiliam os brasileiros durante a Copa do Mundo em Moscou, São Petersburgo, Sochi, Rostov, Samara e Kazan. O Brasil é o terceiro país que mais comprou ingressos para o Mundial. Cerca de 66 mil bilhetes foram vendidos para residentes no País.

MÍDIA FRANCESA REPERCUTE VÍDEO DE TORCEDORES BRASILEIROS COM RUSSA

images|cms-image-000595080.jpg

Da RFI O site da rádio France Info relata o escândalo envolvendo torcedores brasileiros que levam uma russa a repetir frases degradantes como se fosse um canto de torcida.

Uma jovem loira é rodeada por um grupo de homens vestidos à caráter como torcedores da seleção. Eles incitam a russa a repetir as palavras “boceta rosa!”, sem conhecer a tradução.

A France Info lembra que o Brasil é um dos dez países do mundo onde mais se cometem crimes contra a mulher. A reportagem reproduz declarações de várias personalidades femininas. A manequim Fernanda Lima, por exemplo, disse no Instagram que “não é engraçado, é machismo, misoginia e é uma vergonha”. O texto também traz a declaração da atriz Bruna Marquezine, namorada de Neymar: “que vergonha”.

A repercussão do incidente foi tão grande, que o ministério das Relações Exteriores do Brasil chegou a relatar à Agência France-Presse que divulgou um “guia consular”, com diretivas para evitar todo tipo de excesso. “Este guia recomenda expressamente evitar toda violência verbal, visual ou física, particularmente atos insultantes ou humilhantes”, precisa o Itamaraty. “Toda acusação de infração à legislação russa fará objeto de uma investigação da parte das autoridades desse país”, acrescenta o ministério.

Os internautas já deixaram comentários. LeKyfran diz: “Que exagero, todo mundo faz esse tipo de piada, com homens e com mulheres. Relaxem, é só amor”. Cuirmoustaque retruca: “Quando se é obrigado a divulgar um guia consular para explicar aos cidadãos como se comportar no exterior, é que existe um problema grave de base”. Já anisetoilé não se conforma: “os neurônios desses idiotas estão na cueca”.

Outra rádio de grande audiência, a Europe1, diz em seu site que o incidente não é o primeiro do gênero, com torcedores de outros países, citando argentinos e peruanos que foram vistos tentando fazer com que russas dissessem que iam ter relações sexuais com eles.

Latam demite funcionário envolvido em vídeo machista na Rússia

Grupo de torcedores brasileiros constrange uma mulher estrangeira, tentando fazer com que ela repita termos chulos em português

Via: VEJA

A Latam anunciou nesta quarta-feira, 20, a demissão do funcionário Felipe Wilson, supervisor da empresa no aeroporto de Guarulhos. Ele é um dos envolvidos no segundo vídeo machista gravado durante a Copa do Mundo da Rússia. No vídeo, ao menos três homens ensinam três mulheres a falar em português: “Eu quero dar a b***** para vocês”.

“A Latam Airlines Brasil repudia veementemente qualquer tipo de ofensa ou prática discriminatória e reforça que qualquer opinião que contrarie o respeito não reflete os valores e os princípios da empresa. A partir deste pressuposto, a companhia informa que tomou as medidas cabíveis, conforme seu código de ética e conduta”, diz a nota oficial da empresa.

Vídeo:

Este foi ao menos o segundo vídeo que mostra brasileiros constrangendo mulheres na Rússia a viralizar na internet. No primeiro, um grupo de ao menos cinco homens tenta convencer uma russa a gritar uma frase com referência constrangedora às suas partes íntimas. Trata-se da velha piada de mau gosto de fazer estrangeiros repetirem termos chulos em português. Claramente sem entender o significado do que é dito, ela tenta acompanhar os torcedores.

Ao menos três integrantes do grupo foram identificados: Luciano Gil Mendes Coelho, ex-membro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Piauí (Crea-PI); Diego Jatobá, ex-secretário de Turismo de Ipojuca (PE); Eduardo Nunes, tenente da Polícia Militar em Lages, Santa Catarina.

Na segunda-feira, a Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Pernambuco, divulgou nota de repúdio à atitude dos brasileiros.

“Dentre os protagonistas do lamentável episódio, identifica-se o advogado Diego Valença Jatobá, regularmente inscrito nesta seccional”, diz a nota, referindo-se a um dos homens que aparecem no vídeo. Jatobá também foi secretário de Turismo de Ipojuca (PE), onde está a praia de Porto de Galinhas, pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB).

“A preconceituosa atitude é causa de vergonha para todos nós, brasileiros, e vai na contramão do atual contexto de luta contra a desigualdade de gênero, em que cada dia mais as instituições públicas e privadas estão em busca de soluções conjuntas para que nenhuma mulher sofra qualquer tipo de violência ou discriminação pelo fato de ser mulher”, diz a nota.

A OAB-PE salienta que o Brasil é o quinto país no ranking mundial de violência contra as mulheres e que uma mulher é vítima de violência física ou verbal no país a cada dois segundos. “As estatísticas são alarmantes e nos levam a uma profunda reflexão sobre a necessidade de uma mudança urgente da cultura machista e patriarcalista em que nossa sociedade ainda está, infelizmente, inserida.”

Por assédio, autoridades russas avaliam abrir inquérito contra brasileiros

Denúncia apresentada contra torcedores poderia significar multa, impedimento de entrar na Rússia ou mesmo um processo criminal

Via: ESTADÃO

O Ministério do Interior da Rússia está avaliando a possibilidade de abrir um inquérito contra torcedores brasileiros que geraram polêmica ao constranger uma mulher russa na Copa do Mundo, num vídeo que difundiram pela internet.

Uma denúncia foi apresentada contra os envolvidos e ativistas querem que a polícia local abra um inquérito. “Ainda estamos avaliando e não podemos ainda confirmar se haverá um inquérito ou não”, explicou um assessor do Ministério do Interior ao Estado. Ele, porém, confirmou ter recebido informações sobre o caso.

Torcedores assédio

Torcedores estão sendo apontados como racistas e misóginos. Foto: Reprodução/ Facebook

Além disso, uma queixa formal será apresentada à embaixada brasileira em Moscou e uma petição contra os brasileiros já conta com quase 900 assinaturas. Nela, os ativistas ainda consideram que “cidadãos estrangeiros deveriam pedir desculpas publicamente, e para a menina, e todos cidadãos russos diante do sexismo, da falta de respeito às leis da Federação Russa, o desrespeito por um cidadão russo, insultos, humilhação da honra e dignidade de um grupo de pessoas com base em seu gênero”.

Caso sejam considerados culpados, podem sofrer sanções que vão desde multas até a proibição de voltarem a entrar em território russo.

A autora da denúncia é Alyona Popova, advogada e ativista russa. Na comunicação, ela cita artigos das leis russas que apontam para punições quanto à humilhação ou insulto. Nesse caso, a multa pode chegar a 3 mil rublos (R$ 175). Mas também existiria a possibilidade de que os brasileiros sejam denunciados por violência da ordem pública e abusos sexuais.

Uma responsabilidade criminal apenas poderia ser atribuída se ficar constatado que o ato tem uma relação com discriminação de sexo, de raça ou nacionalidade.

Para Popova, deve haver uma pedido oficial de desculpas por parte dos brasileiros envolvidos. Além da denúncia, ela ainda quer iniciar uma petição para criar uma pressão popular diante do caso.

Num texto publicado pela ativista, ela alerta que um dos envolvidos tinha um cargo público e que “não podem humilhar” a mulher russa. Ela se referia ao tenente da Polícia Militar de Santa Catarina Eduardo Nunes, um dos identificados no vídeo. Segundo a advogada, a ofensa tem uma relação direta com “nacionalidade e gênero”. “Gostaria que esses cidadãos fossem punidos”, escreveu.

A embaixada do Brasil em Moscou afirma que não recebeu até o momento a queixa da ativista. Pela manhã, ela apenas indicou que tem recebido e-mails de brasileiros protestando contra a atitude dos torcedores brasileiros. Mas considera que o caso é “isolado” e que a maioria tem tido uma postura exemplar.

Continuar lendo: https://esportes.estadao.com.br/noticias/futebol,autoridades-russas-avaliam-abrir-inquerito-contra-brasileiros,70002357473

Alexandre Frota não tem reconhecido vínculo empregatício com emissora

Ator foi condenado a pagar R$ 20 mil de sucumbência por ter pedidos negados pelo juízo da 3ª VT de Osasco/SP.

O juiz do Trabalho Ronaldo Luís de Oliveira, da 3ª VT de Osasco/SP, julgou improcedente pedido de reconhecimento de vínculo empregatício entre o ator Alexandre Frota e uma emissora de televisão. O magistrado também negou benefício da Justiça gratuita ao ator e arbitrou a sucumbência a ser paga por Frota em mais de R$ 20 mil.

O ator ajuizou ação pedindo o reconhecimento do vínculo, sob alegação de que teria mantido relação de emprego não formalizada com a emissora durante seis meses, atuando como diretor geral. Frota afirmou na inicial que ajustou salário mensal de R$ 12 mil com a emissora, no entanto, não recebeu nenhuma importância durante os meses em que teria trabalhado para a rede de televisão e teria, inclusive, coberto despesas de manutenção da empresa. Além do reconhecimento de vínculo, o ator também requereu o benefício da Justiça gratuita e atribuiu à causa o valor de R$ 245 mil.

Ao julgar o caso, o juiz do Trabalho Ronaldo Luís de Oliveira ponderou que o reclamante não está assistido pelo sindicato de sua categoria profissional, tendo se valido da prerrogativa de contratar advogados particulares, e que o ator se revela há tempos como forte investidor em diversos seguimentos, o que não justifica o pedido de benefício da Justiça gratuita.

Já em relação ao pedido de reconhecimento de vínculo, o magistrado entendeu, com base em documentos apresentados nos autos, que houve prestação de serviços, por parte do ator, à emissora, não tendo ele atuado como típico empregado. Para o juiz, os fatos narrados nos autos “evidenciam que o autor esteve longe de estar subordinado economicamente à reclamada”.

Com essas considerações, o magistrado julgou improcedentes os pedidos feitos pelo ator e fixou a sucumbência a ser paga por ele no valor de R$ 24,5 mil, equivalente a 10% do valor da causa, além de condenar o reclamante ao pagamento de custas processuais, arbitradas em R$ 4,9 mil.

  • Processo: 1001278-62.2017.5.02.0383

Confira a íntegra da sentença.

Via: Migalhas

“Quero ajudar o meu Pais” Datena afirma esta disposto a se candidatar a Presidente da república pelo DEM

O apresentador José Luiz Datena, da Band, ensaia ser o postulante a “outsider” da vez na disputa eleitoral de outubro. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Datena deixa no ar três possibilidades: concorrer na vaga de vice de João Doria (PSDB) ao governo de São Paulo, disputar o Senado ou mesmo se lançar à Presidência da República.

Recém-filiado ao DEM, Datena se encontrou na última quarta (13) com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pré-candidato à Presidência, para tratar do assunto.

“Eu me proponho a ser candidato ao Senado. Agora, se pintar a possibilidade de ser candidato à Presidência da República, talvez eu tente ajudar o meu país. Quero ser candidato para ajudar o povo”, afirmou Datena. “É mais uma decisão do partido do que minha. Depende das articulações, dos resultados das pesquisas.”

De acordo com o jornal, a eventual candidatura de Datena é vista como uma opção da centro-direita para enfrentar Jair Bolsonaro (PSL), Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT), diante da dificuldade de Geraldo Alckmin (PSDB) decolar nas pesquisas. O apresentador se lançou pré-candidato a prefeito de São Paulo, em 2016, mas acabou não levando a candidatura adiante.

Por ser uma figura conhecida dos eleitores, alguns analistas acreditam que Datena possa alcançar de largada 7% ou 8% das intenções de voto e passar Alckmin, que aparece com 5% a 6%, nas pesquisas. “Quem sabe um outsider não possa fazer alguma coisa?”, pergunta Datena. “Só aparece outsider porque quem está aí não está satisfazendo.”

Ideologia

Ideologicamente, Datena se considera “mais para o centro” e um defensor da liberdade e da democracia. “No Brasil, não há liberdade para nada”, disse.

O apresentador criticou o comunismo e seus timoneiros, como Lênin, Stálin e Mao Tsé-Tung que, segundo ele, “deixaram milhões de mortos” na União Soviética, na China e em outros países. “O problema do Brasil não é de direita, de esquerda ou de centro, mas do sistema político”, avalia o apresentador.

Senado Federal

Na pesquisa Ibope divulgada no dia 28 de maio para o Senado Federal em São Paulo, Eduardo Suplicy (PT) aparecia com 30% e José Luiz Datena (DEM) com 26%

Fonte: pragmatismopolitico